Respeitado na indústria por ser um dos criadores da hashtag e um dos funcionários por trás do design inicial do Google+, Chris Messina desabafou na plataforma de blogs Medium sobre o andamento da rede social da Google — que não é exatamente popular ou movimentada.

Na publicação, ele cita que a falta de respostas da Google sobre quais eram os objetivos e a visão do Google+ o incomodaram. Para Messina, que passou três anos envolvido com a empresa, o projeto tinha a capacidade de revolucionar as redes sociais. E agora? "Ultimamente, sinto que o Google+ está confuso e à deriva no mar", escreve.

O grande problema não é nem o fracasso do Google, mas a falta de capacidade da gigante em criar um rival do mesmo nível para o Facebook — a outra possibilidade seria a Apple criar um serviço parecido, já que ela tem as mesmas proporções das demais companhias. E não é nem só pelo monopólio de mercado, mas pela concentração de informação e identidade digital.

Além disso, Messina acusa a Google de ser conservadora demais e tentar copiar o Facebook, com ações defensivas e abstratas. Segundo ele, o site seria muito melhor se focasse mais no usuário — algo que até justificaria o fato de deixarmos muitas informações pessoais com a empresa. Afinal, se é para alguém cuidar de nossos dados, que seja uma instituição de resposabilidade. É uma pena que, por enquanto, essas ideias permanecem somente no desabafo de Messina.

Para conferir o texto completo (em inglês), clique aqui.

Cupons de desconto TecMundo: