Existe um recurso do Gmail chamado “Cancelar Envio”, que permite que você bloqueie o envio de um email enviado às pressas. Com certeza, essa função é algo que um prestador de serviços da Goldman Sachs (um dos maiores grupos financeiros do mundo) desejaria ter usado depois de enviar acidentalmente um relatório completo contendo informações confidenciais de clientes para uma pessoa desconhecida.

Há alguns dias, o grupo financeiro pediu a um juiz dos Estados Unidos que forçasse a Google a excluir essa mensagem para impedir violação e privacidade “desnecessaria e maciça”. A queixa foi apresentada na sexta-feira passada em um tribunal de Nova York, em Manhattan, de acordo com a Reuters.

Um erro simples, mas grave

O incidente ocorreu no dia 23 de junho, quando um prestador de serviços decidiu enviar um relatório contendo informações de corretagem altamente confidenciais para alguém com o endereço a@gs.com — um dos nomes de domínios centrais da conta da Goldman Sachs. Em vez disso, ele enviou a mensagem para a@gmail.com

A mensagem continha informações relacionadas a vários clientes. A Goldman Sachs não informou quantas pessoas foram afetadas, mas, depois de inúmeras tentativas infrutíferas de contato com o destinatário, a empresa quis a ajuda da Google para rastrear quem possa ter acessado as informações.

Segundo a Reuters, a Google estava disposta a cooperar com o pedido e excluir o email, mas somente se recebesse uma ordem judicial. Na última quarta-feira, porém, a Goldman Saches afirmou que o email enviado acidentalmente havia sido bloqueado. “A Google cumpriu com o nosso pedido de bloquear o acesso ao email”, afirmou a porta-voz da Goldman, Andrea Raphael.

“Ela também nos notificou que a conta de email não foi acessada entre o período que o email foi enviado e a hora de bloqueio do acesso. Nenhuma informação de clientes foi vazada. ”, finalizou a porta-voz do grupo financeiro.

Apesar da informação de que o email foi bloqueado, a Google ainda não se manifestou sobre o caso.

Cupons de desconto TecMundo: