Pense em um tamanho de tela e provavelmente a Samsung terá um modelo de smartphone, phablet ou tablet para atendê-lo. A família Galaxy da empresa sul-coreana é uma das que mais cresce no mercado, com versões capazes de agradar a todos os tipos de bolso. No caso dos tablets não poderia ser diferente.

A segunda geração de tablets da empresa, com a linha Galaxy Tab 2, conta com modelos de 7 e 10 polegadas, em versões com 8 GB, 16 GB e 32 GB de armazenamento e compatíveis com WiFi e 3G. Nesta análise, conferimos as funcionalidades do modelo GT-P3110, com tela de 7 polegadas, 16 GB de armazenamento e compatibilidade com WiFi.

Aprovado

Design de construção

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Resistência e conforto ergonômico estão entre as principais características do Galaxy Tab 2. A parte traseira do aparelho é bastante consistente e, devido à sua espessura, a sensação que se tem é a de que o produto é resistente, suportando impactos menores sem ficar marcado por riscos ou arranhões.

Da mesma forma, o formato que se assemelha a uma barra de chocolate torna a sua pegada bastante ergonômica, sendo uma experiência agradável para a leitura de livros e revistas. No caso de jogos, quando segurado na vertical, o modelo também se mostra anatômico, garantindo uma boa usabilidade, sem deslizes ou escorregões.

Tela e display

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Embora a densidade de pixels seja de apenas 170 ppi e a resolução de tela registre 1024x600 pixels, não há comprometimento na qualidade visual. Mesmo jogos com melhor qualidade gráfica acabam se mostrando bonitos e eficientes, tornando a experiência fluída e sem incômodos.

Compatível com multitouch, a resposta aos toques é precisa e a transição entre as telas – e até mesmo dentro dos aplicativos – é sem engasgos e natural. O resultado é um produto prático e de resposta rápida, ideal para entretenimento, leitura ou navegação na web.

Desempenho e testes de benchmark

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo) (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo) (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Com processador dual-core de 1 GHz, o Galaxy Tab 2 apresentou um desempenho satisfatório em todas as tarefas que executou. Em jogos mais pesados notamos alguns pequenos engasgos durante a inicialização, mas em nenhum momento a utilização de algum app foi prejudicada por conta de suas limitações técnicas.

Apesar de na prática nenhum problema ter sido encontrado, nos testes de benchmark o aparelho não se saiu tão bem assim. Em nosso comparativo, utilizamos os benchmarks AnTuTu e Vellamo. No primeiro dos testes, os resultados ficaram bem abaixo do Galaxy Note e do Galaxy S2. Com o Vellamo o desempenho foi um pouco melhor, mas ainda assim os números não nos impressionaram.

Bateria

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A bateria de 4.000 mAh não nos impressionou durante os testes, mas também não desapontou. O tempo de duração, tanto no modo stand by quanto em uma utilização mais estressante, ficou dentro da média dos concorrentes e não deve causar maiores problemas para os usuários.

Com ele em mãos, é possível passar o dia todo, tendo um uso moderado, sem que seja preciso carregar a bateria novamente. Os modos de economia de energia disponíveis no sistema operacional são eficientes e colaboram para um aumento da durabilidade da carga.

Custo-benefício

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Há várias versões do Galaxy Tab 2, o que possibilita um bom número de combinações para os consumidores. O modelo mais simples de todos, com 8 GB de armazenamento e conectividade WiFi, pode ser encontrado nas lojas brasileiras por preços a partir de R$ 599. Modelos de 16 GB com WiFi foram encontrados em nossas pesquisas por cerca de R$ 699.

Com configurações razoáveis, o consumidor tem acesso a um aparelho competente e que certamente suprirá as necessidades da maioria dos usuários. Dessa forma, aliando um produto de qualidade com um custo compatível com a sua proposta, o modelo da Samsung se coloca como um dos mais interessantes da sua categoria.

Durabilidade

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Embora o Galaxy Tab 2 tenha sido anunciado há mais de um ano (para ser mais preciso, em fevereiro de 2012), suas configurações ainda o colocam como um tablet intermediário e capaz de executar com propriedade a grande maioria dos aplicativos disponíveis na Play Store.

No final do mês de abril, a Samsung anunciou a chegada do Galaxy Tab 3, mas suas configurações pouco mudaram em relação à segunda versão do produto. Por incrível que pareça, essa falta de novidades no Galaxy Tab 3 é benéfica para quem planeja comprar um Galaxy Tab 2.

Na prática, isso significa que o hardware do produto deve demorar mais tempo para ficar obsoleto, tendo uma sobrevida ainda por um período entre um ano e um ano e seis meses. A versão do Android, 4.0.3 (Ice Cream Sandwich), pode ser atualizada para a 4.1.1 (Jelly Bean).

Reprovado

Câmera

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Antes de apontarmos a câmera como um ponto negativo, é importante deixar claro que em um tablet, essa caraterística não é tão relevante quanto em um smartphone, de forma que isso “minimiza” um pouco eventuais problemas. Muitos aparelhos, por exemplo, sequer têm uma câmera traseira.

No caso do Galaxy Tab 2 ela está presente e com resolução de 3,2 megapixels – o que é perfeitamente aceitável para um tablet desse porte. Entretanto, o resultado final das imagens capturadas pelo aparelho não é satisfatório. As imagens em ambientes claros perdem um pouco de contraste e nitidez e nas imagens noturnas o nível de ruído é alto.

A câmera também não possui flash, o que torna mais complicada a possibilidade de boas fotos em ambientes iluminados. Assim, se por um lado é uma boa notícia o fato de o aparelho possuir uma câmera traseira, por outro é lamentável que a sua qualidade fique abaixo da média de aparelhos similares. Certamente, esse ponto poderia ser melhor trabalhado pela empresa.

Ausência de fone de ouvido

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A qualidade de som do Galaxy Tab 2 não chega a ser um problema. O sistema de som é apenas comum, de forma que não vai incomodá-lo na execução de jogos, vídeos e arquivos de áudio. Entretanto, diferente da primeira versão do Galaxy Tab, nesta já não há mais um fone de ouvido acompanhando o produto.

É bem verdade que não se trata de um acessório caro e provavelmente você deve ter algum em sua casa compatível com a entrada P2. Contudo, pelo fato de ele custar muito pouco e não encarecer tanto assim o produto, é de se estranhar que a Samsung tenha optado por retirá-lo da sua linha de tablets.

Vale a pena?

Com preço acessível dentro de sua proposta e apresentando um produto de qualidade, a Samsung mostra mais uma vez que acertou com o tablet Galaxy Tab 2. As atualizações em relação à primeira versão do aparelho são sutis (a mais relevante é a do sistema operacional), mas ainda assim o aparelho se mantém atualizado dentro de sua proposta.

Com um design que prima por um formato anatômico e com construção resistente, o aparelho, que pesa 345 gramas, é leve o suficiente para ser carregado para qualquer lugar e de simples manuseio para leitura de livros e revistas e para navegação na internet.

Entre os pontos negativos, o mais sentido deles certamente será a ausência de um fone de ouvido, algo que poderia estar incluso no produto sem que o custo encarecesse tanto. A câmera também não é das melhores, mas por se tratar de um tablet essa não é mesmo a sua proposta. A versão 3G permite ainda que o aparelho faça e receba ligações.

Para quem busca um aparelho de configuração intermediária, mas que suporte de maneira eficiente os principais aplicativos e jogos da atualidade, certamente vale a pena incluir os modelos da linha Galaxy Tab 2 em suas cotações de preço.

Cupons de desconto TecMundo: