No mundo da sétima arte, é comum que muitas coisas não sejam questionadas quanto à sua veracidade e às leis da física — especialmente porque todos os que vão ao cinema entendem que o que é retratado ali, muitas vezes, busca mostrar em imagens o que consideraríamos ser impossível.

Filmes de ação e de super-heróis se encaixam fortemente nesse quesito. E foi seguindo um dos grandes longa-metragens do momento que a Universidade Emory analisou — na série “Emory [University] Looks at Hollywood” — o filme do Homem-Aranha. Mais detalhadamente, o professor de matemática, Skip Garibaldi, avaliou as locomoções do super-herói entre os prédios para saber se isso realmente seria possível na vida real.

É ou não é possível?

E a resposta, de forma surpreendente, foi “sim”. A Marvel Comics já havia definido que a força da seda utilizada pelo Homem-Aranha seria de 120 libras (algo como 54 quilos) por milímetro quadrado. Segundo o professor, essa força é muito semelhante à da seda encontrada nas aranhas da natureza e também parecida com a força do aço.

Assim, a seda utilizada pelo super-herói seria até mais do que o suficiente para que ele deslizasse de um prédio para outro sem choques físicos.

Movimentos do Homem-Aranha não são tão impossíveis assim... (Fonte da imagem: Reprodução/Sony Pictures)

Outro movimento analisado foi em relação ao filme anterior da franquia, em que o Homem-Aranha para um trem utilizando seda. Para Garibaldi, isso também seria possível. No caso, tal façanha apenas iria requerer o equivalente a cinco bolas de tênis feitas de seda — algo que, segundo o professor, trata-se de uma baita quantia.

A única coisa que aconteceria nessa tentativa, no entanto, é que tal peripécia poderia arrancar os braços de uma pessoa normal. Mas, nesse momento, entra novamente o charme da sétima arte: fazer do impossível algo possível diante dos nossos olhos.

Fonte: Gizmodo e YouTube | EmoryUniversity

Cupons de desconto TecMundo: