Depois do caso de ataques racistas via internet envolvendo a jornalista e apresentadora Maria Júlia Coutinho, a Maju do Jornal Nacional, a ONG Criola inicou uma campanha provocadora e criativa para conscientizar a população a respeito da situação do negro no Brasil.

A organização social selecionou diversas postagens envolvendo Maju e outros casos racistas e publicou as capturas de tela em outdoors e outras formas de placas publicitárias espalhados pelo Brasil. O vídeo acima mostra a reação de quem passava pelos locais da campanha e parou para analisar o conteúdo.

O nome e a foto de cada autor foram borrados, mas a localização dos outdoors é especial: cada postagem do Twitter ou Facebook foi colocada em espaços que ficam próximos da residência de quem fez a publicação. Esse dado foi facilmente obtido a partir da ferramenta GeoTag com a ajuda de informações fornecidas pelas próprias redes sociais.

A ideia é mostrar que, apesar de o preconceito ser destilado em meios virtuais, ele é bastante real — além de envergonhar os autores e fazer com que eles repensem o racismo e o próprio comportamento na internet.

"acismo e Preconceito na Internet: por que e como combater? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: