Não são só as namoradas que almejam ter a senha do Facebook de seus amados. Parece que tal exigência – que representa uma invasão de privacidade, de certa forma – foi feita a uma aluna por um departamento que administra as escolas de Minnewaska, em Glenwood, Minnesota, nos EUA.

A estudante Riley Stratton, quando ainda tinha 13 anos em 2012, teria postado uma reclamação sobre a escola na rede social de Mark Zuckerberg. A aluna teria se queixado de que não gostava de um dos monitores, fato que provocou a suspensão dela pela escola. A suspensão teria ocorrido quando a estudante estava fora da instituição.

Stratton, em uma outra circunstância, teria sido obrigada a fornecer sua senha da rede social e do e-mail para a escola. Mas isso nada teve a ver com a suspensão da estudante; a exigência pelos dados aconteceu após a mãe de um menino denunciar conversas supostamente de cunho sexual entre a aluna e o filho. As contas, então, foram examinadas por agentes da escola e por um policial.

A garota, naturalmente, se sentiu envergonhada ao ter de informar a senha. "Eu estava chorando. Fiquei muito envergonhada quando eles fizeram eu a dar minha senha", contou Riley ao jornal Star Tribune, que apurou as informações. A mãe da aluna, Sandra Stratton, disse que não foi informada sobre o que houve no momento em que tudo aconteceu e que só soube da exigência das senhas posteriormente.

Com a decisão tomada pela Justiça norte-americana após o departamento de Minnewaska sofrer processo, ele será obrigado a pagar US$ 70 mil e também a reorientar seus funcionários e policiais sobre a liberdade dos alunos. De acordo com as novas instruções, somente poderão ser investigados os comentários que violarem regras expressas da escola.

Cupons de desconto TecMundo: