Reprodução/WalesNewsService 

Depois do trágico acidente na última terça-feira (13) sofrido por Ben Cornick, de 31 anos, os médicos de um hospital localizado em Fiji informaram que não poderiam realizar os procedimentos necessários para evitar o pior: amputar a perna do paraquedista. O britânico foi orientado a seguir para um hospital em Auckland, na Nova Zelândia.

Para percorrer a longa distância entre as ilhas Fiji e a cidade neozelandesa, seria necessário desembolsar o valor de 20 mil libras (cerca de R$ 77,9 mil) para pagar o transporte emergencial de avião.

Ricky Davies, mãe do paraquedista, criou uma página no Facebook para tentar arrecadar pelo menos uma parcela do valor. Na quinta-feira (16), o valor total dos custos foi arrecadado, possibilitando a transferência de Ben para o hospital da Nova Zelândia já na sexta-feira (17).  

“Eu não tinha dinheiro suficiente, por isso criei uma página no Facebook e falei com outros paraquedistas para tentar algum contato que pudesse ser útil. O pessoal de Auckland não iria transportar o meu filho sem antes ver o dinheiro. Na verdade, outro paraquedista pagou a quantia na hora e dei a minha palavra que devolveria”, disse a mãe de Ben.

Os custos da operação foram totalmente cobertos, porém a página do Facebook vai continuar ativa para pagar os procedimentos pós-operatórios. A força das redes sociais foi mais uma vez comprovada e é admirável como uma ferramenta social consegue mobilizar um grande número de pessoas por uma causa nobre. Ben Cornick com certeza agradece. 

Cupons de desconto TecMundo: