(Fonte da imagem: Divulgação / Facebook)

O Facebook é atualmente uma das redes sociais mais populares do mundo (incluindo aí o Brasil) e já teve a origem contada em forma de ficção no filme “A Rede Social”, mas pouca gente conhece alguns segredos sobre a história e alguns cantos desconhecidos da criação de Mark Zuckerberg.

Pensando nisso, o Oddee reuniu algumas curiosidades relativas ao site e fez uma lista divertida e, em alguns pontos, assustadora.

Você é popular?

Você acha que tem muitos ou poucos amigos no Facebook? Sua página principal vive lotada de novidades ou está há horas na mesma atualização? De acordo com o site, a média de amigos no site é 130, com o público feminino ultrapassando essa média mais facilmente. A interação com pessoas através de cutucadas, curtidas ou mensagens é bem menor: cada participante interage com um número que varia de quatros a sete pessoas.

“Amor, precisamos conversar”

O término de um relacionamento é uma fase difícil, que envolve uma mistura de sentimentos – ou apenas uma atualização de status no Facebook. Em 2010, uma pesquisa revelou que 25% dos usuários da rede souberam que o namoro havia terminado apenas quando a outra pessoa colocou que estava solteira. Desse pessoal, 21% disse que faria o mesmo.

Amamentação não pode

Entre pornografia e crimes, o Facebook possui algumas restrições necessárias na hora do compartilhamento de fotos. Mas alguns são bem curiosos: é proibido, por exemplo, postar fotos “explícitas” de uma mãe amamentando o filho. Claro que isso gerou protesto – e até um grupo na rede social.

Divórcio virtual

O divórcio está comum na atualidade, seja por adultério, brigas constantes e... Facebook. A  American Academy of Matrimonial Lawyers concluiu em uma pesquisa que um a cada cinco casamentos acaba por causa da rede social – e, em 80% dos casos, a rede social era a prova de que o cônjuge havia traído.

Boas-vindas de Al Pacino

"Say hello to my little friend!" (Fonte da imagem: Oddee)

Até 2007, a página de entrada do Facebook (que ainda era precedido por um "The") era bem diferente da que vemos hoje: antes, quem nos dava as boas-vindas era imagem de um rosto formado a partir dos numerais zero e um. Mas a curiosidade é quem é o sujeito: de acordo com o livro “O Efeito Facebook”, trata-se de um ainda jovem Al Pacino, ator de “Scarface” e “O Poderoso Chefão”.

Substituto do cigarro

Aquele clichê de fumar um cigarro após o sexo já está muito antigo. A modernidade pede algo mais tecnológico – como o Facebook. Uma pesquisa da Retrevo confirmou que 36% dos casais abaixo dos 35 anos corriam para o computador depois do ato, principalmente para usar redes sociais.

O perigo do vício

O uso constante e exagerado do site virou até doença: Facebook Addiction Disorder. Para psicólogos que estudam o caso, os efeitos mais comuns do vício são falta de concentração e produtividade, além da perda de amigos e isolamento social.

Pouco estudo, muito “Curtir”

Uma pesquisa da Universidade Dominicana de Ohio, nos Estados Unidos, é uma boa desculpa para os pais que tentam tirar os filhos da frente do computador. Segundo ele, os alunos com conta no Facebook têm uma média de notas mais baixas do que quem não é cadastrado. Além disso, quase 80% dos pesquisados não achavam que o uso da rede e as reprovações tinham algo em comum.

Burger King contra a amizade

(Fonte da imagem: Oddee)

A alta interação entre perfis do Facebook, seja de usuários comuns ou celebridade, abriu espaço para algumas campanhas de publicidade criativas. Ainda em 2009, a rede de fast-food Burger King, por exemplo, pediu que você deletasse 10 amigos de seu perfil para ganhar um hambúrger – tudo sob o slogan “A amizade é forte, mas o Whooper é mais ainda”.

Crimes bizarros na rede

Quase toda semana alguma notícia sobre um crime envolvendo o Facebook é postada pela internet. O Oddee selecionou uma pesada: John Forehand, de 39 anos, teria mandado mensagens de conteúdo sexual para a própria filha de 13 anos. Ela contou para a mãe, que alertou a polícia.

Cupons de desconto TecMundo: