Recentemente, o LinkedIn foi comprado pela Microsoft, e o primeiro fruto dessa nova fase foi um redesign completo da rede social voltada para o público profissional. O visual do site ficou mais limpo e passou a lembrar bastante outro concorrente do mesmo setor, o Facebook. Agora, Mark Zuckerberg e seus comandados parecem dar o troco ao revelarem um novo recurso para seu portal: uma ferramenta de anúncio de empregos dentro da própria plataforma.

Claro que não se trata de nenhum tipo de “vingança” por conta da inspiração gráfica tomada pelo pessoal do LinkedIn, já que esse tipo de projeto costuma ficar em desenvolvimento por um bom tempo antes de ser implementado, mas não deixa de ser interessante ver uma adição tão específica ao Facebook depois da reformulação da rede corporativa. Na verdade, parece se tratar de mais uma expansão do principal produto de Zuckerberg e da sua estratégia de “se não posso comprá-los, vou criar algo similar e oferecer a uma base de bilhões de usuários”.

Novo recurso deve complicar a vida do LinkedIn no futuro

O destaque é a capacidade de clicar no botão 'Apply Now' para fazer parte da seleção de talentos

A novidade deve permitir que qualquer página corporativa na plataforma faça uma postagem de oferta de vaga como se estivesse fazendo uma atualização comum na sua timeline, com a diferença de que é possível colocar mais detalhes a respeito da posição. Para quem visita o endereço e anda atrás de um trabalho, o destaque dessas publicações é a capacidade de clicar no botão “Apply Now” (“Inscreva-se Agora”) para fazer parte da seleção de talentos.

Essa ação dá aos candidatos a oportunidade de preencher qualquer ficha ou registro que o empregador em potencial tiver exigido e enviar o material, enfim, pelo Messenger. O mensageiro do Facebook também pode ser usado para que o entrevistador e o possível entrevistado tirem dúvidas ou conversem antes de marcar um bate-papo pessoalmente. Vale notar que, com o update, uma seção Jobs (Empregos) também surge entre os tópicos da página, permitindo que os visitantes confiram todas as vagas disponíveis no momento.

Maior, melhor e mais relevante

O Facebook tem uma série de vantagens de mercado que são realmente difíceis de bater

Ainda que o recurso só esteja em seus estágios iniciais, começando a ser distribuído nos EUA e no Canadá, não deve demorar até que a novidade ganhe uma escala global e se torne um golpe forte nos negócios do LinkedIn. Embora o produto da Microsoft seja especializado no tema, o Facebook tem uma série de vantagens de mercado que são realmente difíceis de bater: um público absurdamente maior, presença massiva de empresas de todos os tipos e tamanhos e usuários mais engajados, que costumam compartilhar conteúdo e marcar amigos.

O fato de não ser preciso sair da maior rede social do mundo para ir atrás de trabalho e de ser possível se livrar da enxurrada de emails enviados diariamente via LinkedIn também podem ser vistos como vantagens para quem quer mais praticidade e conforto em sua busca pelo emprego dos sonhos. E aí, acha que o Facebook tem a capacidade de liderar esse setor ou acredita que uma plataforma focada especialmente no segmento corporativo consegue se manter relevante mesmo tendo números menores? Deixe seu comentário mais abaixo.

Cupons de desconto TecMundo: