O Facebook se envolveu em uma grande polêmica nestes últimos dias, tanto que diversos veículos estão comentando sobre um abuso de poder de Mark Zuckerberg e sua equipe. No caso, a rede social deletou uma postagem que mostrava a histórica fotografia da Guerra do Vietnã, na qual uma criança corre após um ataque aéreo de napalm feito pelos Estados Unidos.

Quem resolveu tomar dores pela ação do Facebook foi Espen Egil Hansen, editor-chefe do maior jornal da Noruega, o Aftenposten. Após ver que a postagem foi apagada — explicaremos abaixo —, Hansen disse que Zuckerberg é "o editor mais poderoso do mundo", afirmando que a decisão de apagar a fotografia por causa da nudez é um erro sério de julgamento.

"Se você não é capaz de ver a diferença entre pornografia infantil e fotos documentárias de uma guerra, você vai simplesmente promover a estupidez e falhar em deixar os humanos mais próximos entre si", escreveu Hansen em carta aberta, que você pode ler aqui.

  • O fotógrafo que assina a imagem é Nick Ut, da Associated Press, que tem um prêmio Pulitzer pelo trabalho. Nela, é possível ver a garota Kim Phúc, aos oito anos de idade, fugindo de um ataque de napalm.

A foto que foi apagada pelo Facebook

Como começou

Explicando o começo da história, Hansen disse que a imagem foi postada pelo escritor norueguês Tom Egeland. Tom estava participando de uma discussão sobre fotografias que mudaram a história de guerras, e a foto em questão foi postada para exemplificar.

A conta de Egeland foi suspensa pela rede e, quando o Aftenposten noticiou o caso e também exemplificou com a imagem, a página do jornal também foi suspensa. "Qualquer fotografia de pessoas mostrando totalmente as genitálias, nádegas ou seios femininos será removida", enviou o Facebook ao jornal antes de apagar a postagem.

A mídia livre tem uma tarefa importante de levar informação, mesmo que isso inclua imagens desagradáveis

"É um ótimo canal para pessoas que querem compartilhar vídeos de músicas, fotos de jantares e outras experiências", escreveu Hansen sobre a rede social. Porém, a "empresa precisa oferecer mais liberdade para ficar de acordo com as vastas expressões culturais".

Hansen continua: "Eu acho que você está abusando do seu poder, Zuckerberg, e eu acho difícil que você tenha pensado sobre isso cuidadosamente (...) A mídia livre e independente tem uma tarefa importante de levar informação, mesmo que isso inclua algumas imagens que podem ser consideradas desagradáveis".

Aftenposten

Facebook volta atrás

Após diversas críticas, o Facebook percebeu o erro e republicou as postagem que continham a foto icônica da Guerra do Vietnã.

"A imagem de uma criança nua normalmente violaria nossos padrões, e em alguns países até poderia ser qualificada como pornografia infantil. Neste caso, nós reconhecemos a importância histórica e global da imagem em documentar um momento em particular da história", disse o Facebook, segundo o Recode.

"Por causa da importância histórica da icônica imagem, o valor de permitir o compartilhamento supera o valor de proteger a comunidade por meio de remoções, então decidimos reinstaurar a imagem no Facebook, no qual estamos cientes de que havíamos removido".

Espen Egil Hansen, editor-chefe do maior jornal da Noruega, o Aftenposten

Cupons de desconto TecMundo: