A briga entre a Justiça Brasileira e o Facebook vai longe. Depois de bloqueios do WhatsApp (e até uma notícia sugerindo um possível banimento do serviço no país), a rede social teve R$ 38 milhões bloqueados após não ter fornecido dados para uma investigação.

A ação tomada ontem (29/07) pela Justiça Federal do Amazonas, no entanto, já foi suspensa pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, conforme informação do MPF/AM (Ministério Público Federal do Amazonas).

De acordo com a assessoria do Facebook Brasil, a empresa tem profundo respeito pela Justiça Brasileira e, ao contrário do que foi informado pela Justiça Federal do Amazonas, cooperou com a investigação. Segundo nota oficial, o Facebook está pronto para responder quaisquer dúvidas remanescentes.

Obviamente, a reversão do bloqueio não significa que a rede social está livre do processo, uma vez que o MPF ainda pode tentar retomar o bloqueio, bem como aplicar futuras multas e ações para que a empresa colabore nas investigações. O Ministério Público Federal informa que o WhatsApp estimula a comunicação entre criminosos, ainda mais nesses casos em que os dados ficam sob proteção máxima.

O Facebook tem profundo respeito pela Justiça Brasileira e está pronto para responder dúvidas remanescentes

Entre alguns exemplos, o MPF comenta que muitos crimes graves, incluindo atos de terrorismo, sequestros e tráfico de drogas, podem ser arquitetados através de conversas pelo aplicativo de comunicação.

As ações tomadas pela Justiça Brasileira, no entanto, vão contra a privacidade dos usuários e certamente estão causando transtornos para várias pessoas que dependem dos serviços do Facebook. O que será que vai acontecer no próximo capítulo desta novela?

Cupons de desconto TecMundo: