O Facebook parece estar levando realmente sério o negócio de produção de conteúdo em vídeo. De acordo com uma publicação do jornal The Wall Street Journal, a companhia está gastando cerca de US$ 50 milhões (aproximadamente R$ 170 milhões em conversão direta na cotação atual) em quase 140 contratos com celebridades e publicadoras para fazer streaming ao vivo no próximo ano.

Ainda segundo a publicação, a média de pagamento por contrato é de US$ 350 mil (aproximadamente R$ 1,1 milhão), mas algumas empresas ganham bem mais do que isso. Esse é o caso de BuzzFeed, The New York Times e CNN, que recebem por volta de US$ 3 milhões (aproximadamente R$ 10,2 milhões) para produzir conteúdo na rede social em formato de vídeo entre os meses de março de 2016 até março de 2017.

O Facebook está apostando pesado na produção de vídeos ao vivo para a rede social

Até celebridades

Algumas celebridades conhecidas também possuem contrato com o Facebook. Esse é o caso de Kevin Hart (ator), Gordon Ramsey (chef de cozinha, conhecido por reality show como Hell's Kitchen e MasterChef) e Deepak Chopra (médico indiano e escritor). Com isso, a estratégia da rede social é bastante clara: com mais pessoas produzindo conteúdo em vídeo de qualidade, mais pessoas passarão a utilizar e acompanhar a plataforma.

O Facebook está gastando cerca de US$ 50 milhões em quase 140 contratos com celebridades e publicadoras

Porém, Mark Zuckerberg admite que ainda não descobriu a fórmula mágica para o sucesso dos vídeos. Uma das frases no Facebook deixa isso bastante claro: "Nós queremos convidar uma grande quantidade de parceiros para que possamos obter feedback de um grande quantidade de organizações sobre o que funciona e o que não funciona". A partir do momento em que a rede social descobrir esse "segredo", provavelmente não haverá mais concorrente que possa parar o avanço do Facebook.

Cupons de desconto TecMundo: