Em uma época em que cada vez mais empresas querem se envolver com a exploração espacial, seja científica ou turística, a pesquisa para descobrir meios mais baratos de propulsão vem crescendo exponencialmente.

Seguindo esse caminho, a startup Escape Dynamics, baseada no estado americano do Colorado, vem realizando testes para desenvolver uma maneira de evitar o enorme gasto em combustível que acontece hoje em naves que deixam a Terra para navegar em sua órbita, seja para levar astronautas para a Estação Espacial Internacional, colocar um satélite de comunicação em funcionamento ou levar turistas abastados para ver nosso planeta de um ponto de vista que poucos já tiveram.

Combustível químico: caro e pouco ecológico

Considerando que a maior parte do custo de uma expedição espacial é o combustível químico para dar propulsão ao veículo, a Escape Dynamics tenta – com certo sucesso – criar uma alternativa aos motores de explosão usando um sistema complexo de micro-ondas. Elas seriam emitidas diretamente para um receptor na nave, que ativaria um sistema movido a hidrogênio ou hélio para mantê-la em funcionamento.

A empresa foi capaz de usar essa tecnologia para alimentar um protótipo com eficiência maior do que as naves movidas a combustível químico.

Em testes realizados em seus laboratórios no Colorado, a empresa foi capaz de usar essa tecnologia para alimentar um protótipo com eficiência maior do que as naves movidas a combustível químico. Segundo a companhia, a comparação foi feita usando uma unidade de medida chamada Impulso Específico, ou Isp, que é dada em segundos. Quanto maior, melhor é o aproveitamento de energia.

Sistema de emissão de micro-ondas no laboratório da Escape Dynamics

Energia eficiente

Levando em conta que veículos espaciais movidos a combustível atingem cerca de 460 Isp, o protótipo testado, que recebeu as micro-ondas e funcionou internamente com hélio, demonstrou uma eficiência de 500 Isp. De acordo com a Escape Dynamics, esse valor pode subir para mais de 600 Isp caso o hélio seja substituído por hidrogênio.

Os resultados dos testes são um marco importante nessa pequena 'corrida espacial'.

Apesar de muitos passos ainda serem necessários para que essa tecnologia seja adaptada para uma nave funcional e do sistema possuir uma série de obstáculos para funcionar plenamente, os resultados dos testes com protótipo são um marco importante nessa pequena “corrida espacial” para viabilizar viagens espaciais particulares mais em conta e diminuir os custos do envio de satélites e outros equipamentos para a nossa órbita.

De olho no futuro

Para que tudo isso se torne realidade, seria necessário que a Escape Dynamics construísse um sistema de armazenamento de energia em larga escala a partir de fontes de energia limpa e renovável para alimentar sua plataforma de emissão de micro-ondas. Os emissores dessas ondas formariam uma rede global, estando espalhados em diversos lugares por onde a nave passaria. Assim, ela poderia receber energia em qualquer posição.

É claro que tudo ainda está engatinhando, considerando as dificuldades e os obstáculos que os pesquisadores ainda encontram pela frente. Porém, são essas ideias arrojadas que normalmente abrem as portas mais importantes no desenvolvimento de tecnologias tão avançadas. Caso a empreitada continue dando certo, não há dúvida que muitas outras empresas não vão hesitar em dar apoio para toda essa pesquisa.

Em quanto tempo você acha que viagens espaciais vão se tornar populares? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: