A Sociedade Planetária, órgão estadunidense independente e sem fins-lucrativos, lançou uma provocadora campanha via Kickstarter. É que a companhia pretende lançar em 2016 um módulo espacial movido a nada mais que energia solar. “A luz é feita de fótons, que não têm massa. Mas eles têm momentum, que podem dar um pequeno empurrão [em nossa nave]”, explica Bill Nye, CEO da The Planetary Society.

O projeto LightSail é caro (as arrecadações junto de contribuintes privados já chegaram a US$ 5,45 milhões, vale dizer). A organização, contudo, pede aos internautas modestos US$ 200 mil, montante este que será destinado à conclusão da pequena espaçonave CubeSats. Sem tanque de combustível, a máquina faria uso de painéis refletores que seriam impulsionados pelo “sopro” do Sol.

O primeiro teste de voo, também como parte do projeto LightSail, será realizado no dia 20 deste mês; a missão que pretende explorar a “última fronteira” seria de fato iniciada no próximo ano. Até o fechamento deste notícia, o total de US$ 332 mil já tinha sido arrecadado pela página da Sociedade Planetária no Kickstarter (confira).

O patrocínio por parte dos internautas contribui "apenas" para a arrecadação dos mais de US$ 1,2 milhão necessários à conclusão do projeto. Mas, levando em conta os 42 dias de sobra para o encerramento da campanha a contar de hoje (14), os “apoiadores” têm se mostrado animados – uma vez que mais de US$ 300 mil já foram angariados. Construção da sonda, testes em órbita, análise e publicação de dados fruto da “navegação solar” e incentivo para a implementação da tecnologia que faz uso do momentum são os objetivos visados pela Sociedade Planetária.

Cupons de desconto TecMundo: