A sonda espacial Dawn estava a 46 mil km de Ceres em 19 de fevereiro, um planeta-anão que fica no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter. Tudo seria muito normal se não fossem imagens que mostram pontos brilhantes no planetoide: um grande no centro de uma cratera e um menorzinho ao lado.

"Isso (os pontos brilhantes) pode estar apontando para uma origem vulcânica dos pontos, mas teremos que esperar por imagens de melhor resolução antes de fazermos essas interpretações geológicas", disse Chris Russell, pesquisador-chefe da missão Dawn.

A sonda especial está prevista para entrar na órbita de Ceres em 6 de março, quando teremos fotos mais aproximadas. Outras hipóteses incluem gelo, já que cientistas já haviam detectado vapor d’água vindo da superfície do planetoide. Também há a possibilidade de ser sal.

Antes de Ceres, a Dawn visitou o asteroide gigante Vesta entre 2011 e 2012, tirando mais de 30 mil imagens do meteoro. Ele tem diâmetro médio de 525 km, enquanto Ceres mede 950 km. Esses são os dois maiores corpos celestes do cinturão de asteroides que fica entre Marte e Júpiter.

Vamos aguardar o dia 6 para saber de mais detalhes dos pontos brilhantes.

Cupons de desconto TecMundo: