Na quarta-feira passada (19), uma sonda projetada pela Agência Espacial Europeia (ESA, no original em inglês) deveria aterrisar com segurança no solo de Marte. Batizado de Schiaparelli, o dispositivo tinha como missão justamente provar que é possível realizar um pouso suave no Planeta Vermelho, abrindo margem para futuras missões tripuladas ou eventuais envios de rovers de exploração.

Porém, as coisas não sairam como o planejado. Um minuto antes da aterrisagem prevista, membros da equipe ExoMars (programa europeu que visa explorar o astro) perderam contato com a aparato. Através de sua própria sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), a Administração Nacional da Aeronáutico e Espaço (NASA) divulgou uma fotografia espacial que mostra uma cratera causada pela queda do Schiaparelli.

Fotografia divulgada pela NASA mostra a cratera criada pela queda

De acordo com pesquisadores da ExoMars, tudo indica que a falha no pouso foi ocasionada por um defeito na programação da sonda — por qualquer motivo, o aparelho acabou ejetando seu escudo térmico e o paraquedas muito antes do previsto. Em seguida, seus propulsores foram acionados por três segundos, e não trinta, como inicialmente programado.

A teoria mais aceita é a de que os sensores da nave detectaram que a sonda já estava mais próxima do solo do que ela realmente estava, ocasionando o acionamento errôneo do paraquedas e o desligamento prematuro dos propulsores.

Cupons de desconto TecMundo: