Se você sempre sonhou em observar as estrelas e conhecer alguns dos astros mais famosos ao nosso redor, lamentamos informar que fazer algo assim beira o impossível hoje em dia. Prova disso é uma pesquisa recente publicada na revista Science Advances, que revelou que aproximadamente um terço de toda a humanidade não é mais capaz de ver a Via Láctea.

De acordo com o artigo, isso é resultado da enorme quantidade de iluminação artificial utilizada atualmente, que cria uma “névoa de luz” e torna impossível ver a galáxia mesmo durante a noite. No caso dos EUA, por exemplo, a situação é uma das piores, com 80% do país totalmente impossibilitado de enxergar os astros mesmo ao anoitecer.

Não menos preocupante é o fato de que o excesso de luz pode fazer mal para a vida selvagem, já que a iluminação artificial pode desorientar os animais.

Acima, um mapa das regiões mais afetadas pela iluminação

Os dados, compilados com base nas medições de satélites do brilho do céu, apontaram que Cingapura, Coreia do Sul e Itália foram os três locais com as piores taxas de iluminação para observar as estrelas. Já na outra ponta, temos o Canadá e a Austrália, cujas populações se concentram apenas em poucas áreas dos respectivos países.

“Nós temos gerações inteiras de pessoas nos Estados Unidos que nunca viram a Via Láctea”, comentou o cientista Christopher Elvidge, coautor do artigo. “É uma grande parte de nossa conexão com o cosmos – e ela se perdeu.”

Para os mais curiosos, é possível conferir um mapa das regiões documentadas pela equipe através do site do Instituto Cooperativo para Pesquisa em Ciências Ambientais (CIRES). Alternativamente, se você não estiver usando o Chrome, é possível clicar aqui para ver todas as informações em um globo 3D.

Cupons de desconto TecMundo: