A Lockheed Martin, fabricante norte-americana de equipamentos aeronáuticos, está construindo para a NASA um novo módulo para missões tripuladas ao espaço. Em design, o veículo se assemelha bastante aos módulos das missões Apollo, mas há muitas diferenças, especialmente no aspecto tecnológico.

“Ele está a anos-luz do que se tinha na Apollo”, disse Jim Bray, diretor da Lockheed para o projeto. O módulo se chama Orion e deve levar quatro astronautas ao espaço em algum momento da próxima década, entre 2020 e 2030. Ele ainda é 60% mais espaçoso que o módulo das missões Apollo e tem o dobro do peso.

Construção do módulo da missão Orion

Essas novas especificações, além de várias outras, foram necessárias porque o módulo deve ir muito mais longe do que qualquer outro equipamento do tipo já foi. Orion ficará em uma órbita bem distante do planeta, além da órbita da Lua, e foi projetada para se adaptar a qualquer trajeto no espaço. Ou seja, é possível levá-la para ainda mais longe sem grandes reformulações.

Atualizações bem-vindas

Entre as novidades da Orion em relação à Apollo, os astronautas contarão com um melhor revestimento térmico e um sistema de gerenciamento de dejetos (cocô?), isso combinado a mais espaço para armazenar comida e para locomoção.

Um das maiores diferenças, entretanto, é relacionada à segurança dos tripulantes. Todos os sistemas vitais terão redundâncias. Ou seja, haverá dois conjuntos de motores, dois sistemas de bordo, dois de tudo. Dessa forma, se um sistema dá problema, existe um reserva para assumir suas funções.

Alguns testes com o módulo devem começar já em 2018, a fabricante está trabalhando com esse prazo final para entregar o produto à NASA. Você pode conferir mais detalhes técnicos da Orion aqui.

Cupons de desconto TecMundo: