Pessoas que perderam os movimentam das pernas estão prestes a ter uma segunda chance a partir de uma promissora parceria entre a Intel e a empresa de robótica Cyberdyne. Sob o nome de “Assistente de Vida Híbrido”, o exoesqueleto HAL difere substancialmente do personagem retratado por Stanley Kubrick em “2001: Uma Odisseia no Espaço”: encaixado ao quadril, o mecanismo pode tanto auxiliar o paciente em exercício de fisioterapia quanto, quiçá, fazê-lo caminhar novamente.

O funcionamento da mais recente versão do protótipo se baseia em sinais bioelétricos (ou BES, na sigla em inglês), que podem ser detectados a partir da pele. A interpretação dos impulsos seria feita em tempo real por meio dos sensores acoplados ao HAL, que poderiam até mesmo prever de modo inteligente o movimento desejado.

O futuro bate à porta

Apesar de existir há pelo menos uma década, o exoesqueleto poderá ser disponibilizado ao público somente a partir dos próximos anos. A falta de uma data exata para o lançamento pode estar relacionada a certas limitações, uma vez que somente pessoas com até 86 quilos podem ser suportadas e o tempo de uso das pernas se estende de 60 a 90 minutos, dependendo do tipo de atividade executada.

Modelos capazes de restaurar todos os movimentos do corpo também deverão ser lançados

Outros modelos, como uma versão para servir de apoio aos membros inferiores e capazes de funcionar por até duas horas também estão sendo introduzidos pela Cyberdyne. Um traje dedicado à restauração de todos os movimentos do corpo deverá, ainda, ser lançado, mas detalhes quanto ao preço e à produção dos exoesqueletos alternativos ainda não vieram à tona.

Cupons de desconto TecMundo: