Digital Publishing Suite é o conjunto de ferramentas da Adobe para o mercado editorial (Fonte da imagem: Adobe DPS Blog)

A Adobe realizou nesta quinta-feira (8), em São Paulo, um evento fechado para convidados para debater sobre o mercado editorial nas novas mídias e apresentar os principais recursos de sua ferramenta de publicação digital, o Digital Publishing Suite (DPS).

No evento, o executivo territorial sênior de DPS para a América Latina, Alessandro Fonseca, abordou as principais mudanças que estão ocorrendo no mercado editorial atualmente e como as editoras e publicadores independentes estão se adaptando às novas tecnologias.

O futuro da publicação digital

Com o advento dos dispositivos móveis, cada vez mais o papel é substituído por páginas virtuais que, embora ainda enfrentem um pouco de resistência pela parte do público leitor, revolucionam a comunicação devido à interatividade sem limites que tais tecnologias possuem.

Hoje, uma revista publicada para iPad, por exemplo, pode levar outras experiências sensoriais ao leitor, as quais uma publicação convencional não conseguiria: sons, animações, vídeos, integração com redes sociais, compartilhamento e centralização inteligente de informações, entre dezenas de outros aspectos.

A famigerada e tradicional revista nova-iorquina The New Yorker é totalmente adaptada e distribuída para iPad com o uso do DPS (Fonte da imagem: Divulgação/iTunes The NewYorker)

Enquanto muitas companhias sofrem dificuldades para se adaptar a esse novo mercado, outras já apresentam projetos simplesmente fantásticos: é o caso do governo da Coreia da Sul, que planeja substituir completamente o livro didático físico por publicações digitais em tablets de baixo custo, nas escolas de todo o país, até 2015.

Em demonstração, Alessandro apresentou um livro de ciências infantil vindo do país supracitado. Os alunos podem interagir com as imagens e aprender de forma mais divertida, girando o globo terrestre virtual com os dedos, assistindo a vídeos explicativos sobre o efeito-estufa e até mesmo jogando pequenos games que desbloqueiam mais informações sobre um assunto: afinal, quem nunca sonhou em ter as respostas para aquela prova difícil de biologia jogando video game?

Escolas sul-coreanas querem substituir livros didáticos físicos por publicações digitais até 2015 (Fonte da imagem: Reprodução/Future Education Tech)

Ferramentas e soluções práticas para o mercado editorial

E é nesse cenário que surge o Adobe Digital Publishing Suite, que se integra ao Adobe Cloud e ao popular software de editoração eletrônica Adobe InDesign. A utilização técnica da ferramenta é simples: dois plugins essenciais são adicionados ao InDesign e devem ser utilizados até o fechamento da publicação. O Overlay Creator serve para definir parâmetros de comportamento aos elementos interativos de uma página, enquanto o Folio Builder gera o arquivo final, chamado de .folio – que é a revista em si.

De acordo com o plano DPS contratado, a empresa – ou profissional – distribui livremente seu .folio através de aplicativos para as mais variadas plataformas, definindo detalhadamente as características de distribuição (paga, gratuita, assinatura, se é preciso cadastro por parte do leitor etc.). Cada plano dá direito a uma quantia exata de .folios que podem ser baixados pelos clientes (sistema realmente semelhante às tiragens reais de publicações impressas), sendo que, caso esse limite se esgote, é possível adquirir quantias avulsas.

O Adobe DPS está disponível em três edições – Single, Professional e Enterprise – e a empresa afirma que já conta com cerca de 850 clientes no mundo todo, mais de 1.700 aplicativos ativos publicados, e mais de 25 milhões de edições digitais produzidas para iPads, Kindle Fire e Android desde abril de 2011.

Com a vinda e maior atenção da empresa no Brasil, podemos esperar grandes novidades na área editorial e aguardar ansiosos por publicações interativas simplesmente geniais, vindas para revolucionar a comunicação.

Cupons de desconto TecMundo: