Parece que foi ontem: há pouco menos de 100 anos, chegava ao mercado um dos primeiros tênis desenvolvidos especialmente para a prática esportiva. O Converse All Stars foi criado com a ajuda do jogador de basquete profissional Chuck Taylor e em pouco tempo tornou-se obrigatório para qualquer um que desejasse ser um atleta profissional.

O calçado foi o primeiro “sapato esportivo” e também foi um dos primeiros a contar com um desenho específico para o basquete, o que incluía um apoio especial para o calcanhar e muito mais flexibilidade dos movimentos. Se isso parece óbvio hoje em dia, em 1917 as coisas não eram bem assim. Devido a essas inovações, o tênis fez muito sucesso por todo o mundo.

Chuck Taylor All-Stars (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia)

O tempo passou e a tecnologia passou a fazer parte do nosso dia a dia cada vez mais, inclusive dos tênis. A enorme quantidade de pesquisa e desenvolvimento investida no setor de calçados proporcionou nos últimos anos tênis com incríveis habilidades especiais. Essas obras da engenharia moderna podem fazer os atletas pularem mais alto, ajudar as crianças a emagrecer e até mesmo tocar música.

O esteroide em forma de calçado

O Athletic Propulsion Labs Concept 1 ou simplesmente APL parece até o nome de um projeto ultrassecreto. O tênis esportivo especial foi desenvolvido por dois irmãos nos Estados Unidos e, pouco tempo depois, foi banido da NBA, a liga de basquete americana. Mas por que isso aconteceu?

O tênis possui uma tecnologia especial que faz com que os atletas corram mais rápido e pulem mais alto. Segundo as normas da NBA isso é ilegal, pois pode ser considerado como uma espécie de “dopping”, já que altera as características físicas do atleta oferecendo vantagens sobre os outros competidores.

(Fonte da imagem: Divulgação/Athletic Propulsion Labs)

O tênis possui um dispositivo de propulsão que ajuda o atleta a atingir maiores distâncias. O sistema chamado Load ‘N Launch possui duas partes: a primeira fase (load) acontece quando o dispositivo localizado na parte frontal do pé é comprimido durante a pisada; já a segunda fase (launch) acontece quando a força acumulada na parte frontal é jogada para a parte traseira do calçado, agindo exatamente como um propulsor.

O fabricante do tênis especial aproveitou a situação e transformou a proibição do calçado em uma ótima campanha publicitária. Quem estiver interessado em adquirir o APL pode encontrá-lo no site oficial. Os modelos custam cerca de US$ 175 (aproximadamente R$ 365, sem impostos).

O sapato dançarino

Está tendo dificuldades para encontrar o passo certo na hora da dança? Seus problemas acabaram. Conheça o GroundWave Shadow Trainer: o calçado conceitual desenvolvido pelo designer industrial Tom Sykes é equipado com diversos sensores que podem calcular os movimentos do dançarino.

Esses sensores são conectados a um aplicativo de smartphone que oferece um feedback em tempo real, dizendo se os passos estão corretos ou não. Utilizando a dupla calçado e smartphone, o dançarino pode criar estilos personalizados e até mesmo compartilhar os resultados (e a pontuação obtida) através das redes sociais, desafiando os amigos em uma disputa para descobrir quem é o melhor dançarino.

(Fonte da imagem: Reprodução/Tom Sykes)

O designer que criou o conceito do calçado especial também tem um objetivo mais nobre: auxiliar as crianças a perder peso. Assim como aconteceu com o Nintendo Wii, que colocou as crianças para jogar video game em pé, a ideia de Sykes é que elas se interessem mais por atividades esportivas com um calçado que é conectado ao smartphone.

O tênis para corrida mais leve do mundo

Um tênis muito pesado pode ser algo extremamente desconfortável para os maratonistas. Pensando nisso, a Nike lançou um calçado especial para corridas inspirado em um par de meias. O Flyknit foi desenvolvido para dar a sensação de que o atleta está calçando uma segunda pele e nem perceba a presença do calçado nos pés.

(Fonte da imagem: Divulgação/Nike)

A tarefa do desenvolvimento não foi muito fácil. A empresa gastou quatro anos de pesquisa e desenvolvimento envolvendo inúmeros engenheiros, programadores e designers até chegar ao conjunto de tecnologia e materiais perfeitos para a criação do tênis.

Para que o calçado ficasse extremamente leve, foi preciso desenvolver novas máquinas que pudessem criar as fibras especiais que compõem a peça. Graças a tudo isso, o Flyknit pesa apenas 160 gramas.

O Nike Flyknit pode ser encontrado no Brasil em diversas cores e custa aproximadamente R$ 550.

O tênis musical para acompanhar você durante os esportes

A maioria das pessoas que costuma praticar esportes, seja na academia ou correndo na praça, gosta de fazer isso acompanhado de uma boa música. Logo, por que não incluir um player dedicado diretamente no tênis e facilitar a vida dos esportistas? Pois foi justamente isso que a Dada, uma fabricante calçados esportivos, fez.

(Fonte da imagem: Reprodução/HighT3ch)

O Dada Code M MP3 Player Shoes pode armazenar até 100 músicas na memória. O calçado possui um transmissor wireless para enviar as melodias até os fones de ouvido, portanto não se preocupe em ter que conectar cabos que vão dos pés até as suas orelhas.

O melhor tênis para basquete do mundo

Existe um ditado popular que diz o seguinte: “A ferramenta não faz o profissional”. Mas todos nós sabemos que ela é apenas parte verdade. Um bom acessório pode sim fazer a diferença na hora executar um bom trabalho e, no caso dos atletas, marcar mais alguns pontos.

A linha Elite produzida pela Nike é dedicada aos jogadores de basquete. Apesar de parecer um tênis comum e não chamar muito a atenção (a não ser pelos detalhes dourados), o calçado possui muita tecnologia envolvida em sua construção.

(Fonte da imagem: Divulgação/Nike)

Para começar, o tênis não utiliza materiais comuns em sua composição. O plástico foi substituído por fibra de carbono e o nylon por Kevlar, o mesmo material utilizado nos coletes à prova de balas. Isso garante muito mais flexibilidade e resistência ao calçado, proporcionando mais conforto e precisão nos movimentos dos atletas.

A linha Elite é uma edição limitada e os calçados são vendidos por US$ 250 (pouco mais de R$ 500, sem impostos) nos Estados Unidos.

O tênis que mede a altura dos seus saltos

No basquete, a altura dos saltos é fundamental. Para auxiliar os atletas profissionais a medir a altura dos saltos e aprimorar as suas técnicas, a Nike desenvolveu o LeBron X, um tênis especial que leva a assinatura do jogador de basquete Lebron James.

(Fonte da imagem: Divulgação/Nike)

O calçado é equipado com a tecnologia Nike+, que pode medir diversos aspectos do desempenho do atleta que o utiliza. O acessório não é muito barato, custando cerca de US$ 315 (cerca de R$ 645, sem impostos) no mercado americano e pertence a uma edição limitada da Nike.

O custo elevado do produto é justificado pela presença de inúmeros sensores que servem para enviar os dados do atleta para um aplicativo da Nike instalado no smartphone.

Um tênis que gera eletricidade

Você já imaginou poder aproveitar a energia gasta em uma caminhada para recarregar a bateria de seus gadgets? Pois saiba que esse é um sonho antigo de muitos pesquisadores, mas infelizmente essa não é uma tarefa simples de ser executada.

A boa notícia é que a busca está próxima de chegar ao fim. Pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, desenvolveram um novo método de captação de energia pelos passos.

(Fonte da imagem: Reprodução/InStep NanoPower)

O sistema é relativamente simples: trata-se de um líquido composto por micropartículas que reagem com um material específico no interior do calçado. Quando o usuário caminha, esse líquido se movimenta dentro do tênis, gerando energia.

Segundo os pesquisadores, o InStep Nanopower pode gerar até 20 watts, energia suficiente para carregar a bateria de qualquer gadget moderno. O produto ainda não chegou ao mercado, mas os desenvolvedores esperam que isso não demore a acontecer.

Segurança: um tênis que conhece o pé do dono

O reconhecimento biométrico é encarado como o futuro da segurança — são leitores de retina, de impressão digital e até mesmo do rosto da pessoa (como em alguns smartphones Android).

Foi pensando nisso que um laboratório americano desenvolveu um tênis que pode identificar a pessoa depois de apenas três passos. O calçado chamado de BioSole carrega sensores que possuem até 99% de precisão na hora de reconhecer quem calçou o tênis.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Um calçado assim pode ser utilizado em áreas de segurança, anunciando a presença de estranhos no local. Além de tudo isso, os sensores ainda podem ajudar a corrigir os passos do usuário e também prevenir doenças, como o Alzheimer e o diabetes.

Bônus: o tênis de “De Volta Para o Futuro 2”

Se você gosta de tecnologia, é muito provável que você seja um fã da série de filmes “De Volta para o Futuro”. Na trama, o jovem Marty McFly viaja pelo tempo junto com o Dr. Emmett Brown, um cientista que constrói uma máquina do tempo em um carro esporte.

Em uma das viagens os dois vão parar no futuro, o distante ano de 2015 (o filme se passa em 1985). Um dos itens que chama muita atenção é um tênis especial calçado pelo jovem Marty. Fabricado pela Nike e com um design que lembra muito os calçados esportivos dos anos de 1980, o tênis possui cadarços que se amarram sozinhos.

Para a felicidade dos fãs da série, a Nike lançou uma edição especial desses tênis 22 anos depois do primeiro filme da série. O Nike MAG 2011 foi uma edição limitada de 1,5 mil pares em que toda a renda seria destinada às pesquisas contra o Mal de Parkinson. Infelizmente, o calçado não vinha com o dispositivo de amarrar os cadarços automaticamente, mesmo que a empresa tenha registrado a patente do projeto.

(Fonte da imagem: Reprodução/Kickstarter)

Para quem ainda não perdeu as esperanças no modelo, uma designer chamada Blake Bevin, de São Francisco, na Califórnia, desenvolveu um protótipo de sapatos com cadarço automático e colocou uma página no Kickstarter para tentar arrecadar fundos para o projeto. O tênis ainda não chegou ao mercado, mas tudo bem. Ainda faltam pouco mais de dois anos para 2015.

Cupons de desconto TecMundo: