Nesta terça-feira, 21 de abril, o avião Solar Impulse 2 tocou no solo de Nanjing, na China, e completou a escala asiática da volta ao mundo. Essa é uma aeronave movida a energia solar que agora se prepara para um dos maiores desafios do projeto: cruzar o Oceano Pacífico e chegar ao Havaí.

A travessia nunca foi feita com um veículo sem combustível e tem duração prevista de cinco dias (o avião tem velocidade de apenas 142 km/h, enquanto a velocidade de cruzeiro de um Boeing 777 é de 900 km/h).

A viagem do Solar Impulse 2 começou em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em março, mas tem enfrentado alguns atrasos. Em Chongqing, na China, foi necessário esperar três semanas até que o tempo permitisse continuar a viagem.

Construído por um consórcio de empresas europeias, o avião possui envergadura de 72 metros, mais que a de um Boeing 747-8I, de 68,5 m, mas o cockpit mal comporta um passageiro. A asa contém 17.448 painéis solares, finos como um fio de cabelo, que alimentam uma bateria de 942 kg.

Depois do Havaí, a aeronave segue para Phoenix, nos Estados Unidos, e depois para Nova York, com uma parada no interior do país. O passo final é atravessar o Oceano Atlântico, para finalmente voltar para Abu Dhabi em algum dia de agosto.