Startup quer ‘gameficar’ call centers para melhorar serviços de atendimento

2 min de leitura
Imagem de: Startup quer ‘gameficar’ call centers para melhorar serviços de atendimento
Fonte: Asteriks
Avatar do autor

Trabalhar em um centro de atendimento hoje em dia é um trabalho bastante ingrato, para dizer o mínimo. Uma vez que os funcionários são frequentemente cobrados para atender o máximo de ligações que podem no menor espaço de tempo possível – e com pouquíssimo espaço para uma pausa sequer –, não é raro vermos atendentes esgotados (ou mesmo mal-humorados) fazendo um serviço apressado e de baixa qualidade.

Uma nova startup chamada EvaluAgent, no entanto, quer trazer uma abordagem um pouco mais agradável para a experiência desses trabalhadores. A solução trazida por eles, por sua vez, está na “gameficação” de toda a experiência do trabalho, adicionando mecânicas baseadas em jogos para deixar o dia a dia mais divertido.

E como eles fariam isso? Como o vídeo abaixo mostra bem, a ideia é adicionar elementos como níveis, rankings, desafios e até mesmo insígnias para marcar uma meta específica alcançada – e até mesmo troféus de bronze, prata e ouro, para comemorar conquistas maiores. Igualmente interessante é que tudo o que você conquista ali é convertido em pontos que, por sua vez, podem ser trocados por brindes, vales de compras em lojas online e outros.

Não limitando-se a isso, a EvaluAgent adiciona uma série de opções de personalização para seu perfil online na empresa, tornando o que antes seria uma simples central de trabalho em algo próximo a uma rede social, mesmo que de maneira simplificada. Detalhes pequenos como esses, em conjunto, podem fazer toda a diferença para melhorar a experiência monótona e pesada do trabalho nos call centers.

O futuro dos serviços de atendimento

A ideia, é claro, é bastante arrojada para os padrões de muitas empresas do gênero, mas já vem mostrando seus simpatizantes. Segundo o site The Next Web, a EvaluAgent já está trabalhando com várias companhias lá fora, como a franquia de salas de cinema Cineworld ou a empresa de convênios médicos Bupa. Até mesmo agências governamentais do Reino Unido, como a National Savings & Investments e o Ministério da Justiça, já aderiram à ideia.

No momento, a empresa está limitada a trabalhar com empresas britânicas, mas não descarta a possibilidade de expandir os negócios para Europa, EUA e Ásia. Caso essa nova abordagem se mostre um sucesso – o que, segundo o Diretor de Desenvolvimento de Negócios da EvaluAgent, vem se provando verdade –, não seria surpresa ver outras companhias seguindo esses passos por todo o mundo.

O que você acha da experiência de trabalhar em um call center? Conte suas histórias no Fórum do TecMundo

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Startup quer ‘gameficar’ call centers para melhorar serviços de atendimento