Elon Musk, o empresário que dispensa apresentações no mundo da tecnologia, adora a Terra — mas não vê a hora de começar a enviar naves para outros planetas. Em uma entrevista ao site Aeon, ele comentou um pouco sobre a necessidade de migrarmos para Marte e desenvolvermos uma nova civilização lá. E, por incrível que pareça, a ideia não é só conquistar outro território ou mostrar como a nossa tecnologia está avançada, mas sobreviver.

"Acho que há um argumento humanitário muito forte para fazer com que a vida seja multiplanetária, com o objetivo de salvaguardar a existência da humanidade no caso de algo catastrófico acontecer. Nesse caso, ser pobre ou ter uma doença seria irrelevane, porque a humanidad estaria extinta. Boa notícia, problemas de pobreza e enfermidades foram resolvidos, mas a má notícia é que não sobrou nenhum humano", divaga o empresário.

A partir da empresa SpaceX e com "espaçonaves gigantes", ele pretende enviar humanos para Marte em larga escala no próximo século, mas com as primeiras operações começando daqui a pouco mais de 10 anos.

Matrix?

Segundo ele, quando uma civilização de um só planeta chega a um ponto tão avançado na tecnologia, isso é extremamente perigoso — já que erros podem ser letais para toda a espécie, que não teria outro lugar para onde correr.

Mas por que nunca encontramos vida inteligente fora da Terra? Entre várias especulações, Musk tem teorias sinistras. "Essa ausência no encontro de vidas pode ser um argumento em favor de nós estarmos em uma civilização. Como quando você joga um game de aventura e pode ver estrelas no fundo, mas nunca chegar até elas. Se não é uma simulação, talvez estejamos em um laboratório com alguma civilização alien avançada que só está assistindo a como nós nos desenvolvemos, por curiosidade", argumenta. Será que estamos em uma espécie de Matrix e nem fazemos ideia?

Cupons de desconto TecMundo: