Quando se pensa em drone, já vêm à cabeça de muita gente equipamentos grandes e desajeitados. Porém, o TecMundo trouxe para análise o DJI Mavic Pro, veículo aéreo não tripulado que, de tão portátil, mais parece um “ferro de passar roupa hi-tech”.

Mas este modelo da DJI não é para qualquer um, já que é um produto de nicho, voltado principalmente aos praticantes de esportes e repórteres, haja vista sua praticidade de transporte.

A seguir você confere o que achamos deste pequeno monstrinho voador, nas análises em vídeo e texto. 

Design descomplicado

Você pode até achar que se trata de um roteador WiFi voador, uma vez que ele dobrado mede menos de 20 centímetros de comprimento e pesa menos que 800 gramas. A portabilidade, segundo a fabricante, é o seu principal trunfo, já que desse jeito você pode levá-lo para todo lado, inclusive na sua mochila.

Para montar o Mavic Pro, basta desdobrar os dois braços com os motores frontais e então girar os braços traseiros. O melhor é que não é necessário instalar as hélices, que já ficam presas aos motores. Vale citar que a qualidade de construção dele é robusta!

Na parte frontal do pequeno voador, há dois sensores de posição, e logo abaixo está o gimbal, que é acoplado à câmera principal dele. Na parte de baixo, há mais dois sensores de posição e dois sonares para altitude.

O Mavic Pro conta com um sistema de LEDs para identificar a parte da frente e de trás. Nas laterais, você encontra uma entrada para cartão micro SD, uma chave switch para alternar entre WiFi e radiofrequência e uma conexão mini USB.

O controle do drone é compacto e possui um dock para smartphones. O espaço é apenas para esses aparelhos e, se você quiser usar seu tablet nele, não vai ter como. Porém, o destaque vai para o belo painel de LCD que traz algumas informações sobre o voo do drone.

Desempenho

Não há como não deixar de fazer um rápido comparativo com o seu irmão “maior”, o Phantom 4, que de fato tem um voo um pouco mais estável que o do Mavic, porém não é nada que comprometa o uso do portátil.

A velocidade máxima do caçula da DJI é de 65 km/h. Ele de longe não é o mais rápido dos drones, mas é o suficiente para acompanhar um praticante de esportes ou um escalador, já que um de seus diferenciais é o modo “follow me”, que permite que o drone siga você através do sinal do controle. Nesse modo, ele pode seguir de frente ou de costas, mas para isso é necessário estar com o sinal de GPS e o drone a pelo menos 10 metros de altura.

Outro ponto positivo é o aplicativo DJI Go 4, disponível tanto para Android quanto para iOS, que oferece todo o suporte e o acesso aos recursos do drone em voo, através de hud muito intuitivo. Na interface você tem a velocidade, a altitude e até a possibilidade de fazer streaming das imagens ao vivo para o Facebook ou o YouTube.

Controles like a PRO

Se você já controlou algum outro drone da DJI ou qualquer outra fabricante, não vai sentir dificuldade alguma com o rádio controle do Mavic Pro! Ele conta com dois sticks proporcionais que respondem muito bem.

Além disso, ele possui botões específicos para tirar fotos ou iniciar a gravação de um vídeo, bem como um pequeno direcional 5D que, por padrão, controla o zoom digital de 2x e permite inclinar a câmera com apenas um toque. A conexão com o smartphone é feita através do cabo USB – no Android – e pela porta Lightning – no iOS.

O Mavic Pro é equipado com o sistema OcuSync, que, segundo a fabricante, dá o alcance de sinal em até 7 km e também melhora a fluidez do sinal do vídeo na tela do smartphone.

Controles no smartphone

No começo da análise, comentamos que ele parece um “roteador WiFi voador” lembra? Então, ele pode ser quase isso. A chavezinha switch que alterna entre a conexão sem fio e radiofrequência transforma o Mavic em um router sem fio, permitindo controlar o drone apenas pelo smartphone.

Tudo isso é lindo, mas tem um porém. A velocidade do monstrinho voador diminui consideravelmente. Além de tudo, usar os controles touch no seu celular pode não te passar tanta segurança como os sticks do rádio controle.

Outro ponto negativo é o alcance, que diminui consideravelmente, pois você utiliza apenas a conexão WiFi para se conectar ao Mavic.

Porém, existe um contraponto: a praticidade de ter todos os recursos diretamente no smartphone é algo realmente interessante, já que você só precisa do drone e do seu celular para sair fazendo seus vídeos.

E se seu telefone ficar sem bateria? Caso ele fique sem energia ou perca o sinal com o brinquedinho voador, o sistema de segurança vai pousar o drone no mesmo ponto onde ocorreu a decolagem, e o mesmo acontece se você perder o sinal do rádio controle.

Let me take a selfie!

A câmera que vem equipada no Mavic Pro é capaz de fazer vídeos em até 4k a 30 fps e fotos no formato RAW. Ela também tem inclinação de até 90 graus com um gimbal que estabiliza a imagem através de três eixos.

Comparando com a de seus irmãos da família Phantom, a câmera do Mavic pode não ser exatamente a melhor disponível. Isso fica claro principalmente em vídeos com frame rates altos, nos quais a compressão da imagem é visível, mas não é algo que comprometa a experiência com o drone. Devido a essa compressão, na nossa experiência, o modo de 2.7k em 30 frames entregou as imagens mais agradáveis, mas isso pode variar de acordo com seu uso e seu objetivo.

Em nossos testes, percebemos que algumas vezes a lente da câmera embaçou com a umidade de alguns locais, gerando uma espécie de névoa na gravação. Porém, com alguns minutos de uso, esse problema desapareceu.

Vale citar os modos “tripod” e “gesture”. O primeiro reduz a velocidade e deixa os comandos mais sensíveis, reproduzindo de fato o movimento de um tripé de câmera. Já o “gesture” permite que você tire selfies, apenas gesticulando para o drone.

Bateria

Um dos graves problemas nos drones em geral é o tempo de bateria. Mas, podemos dizer que, de maneira geral, o Mavic Pro se sai muito bem nesse aspecto, rendendo aproximadamente 20 minutos de voo em condições normais, já que esse tempo pode variar dependendo da velocidade do voo e do vento, fatores que exigem mais dos motores do drone.

Se você tem interesse em adquirir um Mavic Pro, nós recomendamos a compra de pelo menos uma bateria a mais, pois o tempo para carregar uma bateria zerada é de aproximadamente 1 hora e 30 minutos no carregador que vem com ele.

Especificações técnicas

  • Dimensões: altura 83 mm x largura 83 mm x comprimento 198 mm
  • Peso: 743 g
  • Velocidade: 65 km/h
  • Tempo médio de voo: 21 minutos
  • GPS / GLONASS
  • Bateria: 3.830 mAh
  • Câmera: sensor 1/2.3” (CMOS), formatos JPEG, DNG, MP4, MOV (MPEG-4 AVC/H.264)

Vale a pena?

Pois bem, precisamos falar sobre um assunto muito sério: o preço dele. Custando lá fora US$ 1 mil, que por si só já não é um valor acessível, aqui no Brasil você não encontra o Mavic Pro por menos de R$ 5 mil.

Como dito anteriormente, o Mavic Pro é um produto voltado a um tipo de público. Obviamente, se você tiver a grana para investir em um desses, nada o impedirá de comprá-lo.

Porém, se você busca qualidade de vídeo, nós recomendamos o Phantom 4 Pro ou até mesmo o Inspire 2, que vão te entregar uma performance melhor para esse tipo de aplicação.

De qualquer forma, não tem como não se divertir com ele, já que até mesmo quem nunca pilotou um drone vai conseguir dominá-lo em poucas horas.

E aí, ficou com vontade de ter esse incrível drone? Você pode fazer a compra do pequeno Mavic Pro neste link!

Cupons de desconto TecMundo: