Xiaomi lucra quase nada com Redmi K30 5G, diz suposto analista

1 min de leitura
Imagem de: Xiaomi lucra quase nada com Redmi K30 5G, diz suposto analista
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

As vendas do recém-apresentado Redmi K30 5G ainda nem começaram, mas já há rumores de que a Xiaomi deve ter um lucro bem pequeno em cada unidade comercializada. É o que aponta um suposto analista chinês que resolveu apurar o custo de produção do novo celular da marca na versão com 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento.

O homem não identificado, citado por TechMate e GizmoChina, teria descoberto que cada unidade desse modelo do K30 5G custa 1,746 yuans (aproximadamente R$ 1.017 em conversão direta) para ser produzida, valor que não inclui os custos de pesquisa, desenvolvimento e montagem, além das operações de pós-venda, considerando apenas os gastos com os componentes internos do smartphone — ou seja, o valor unitário deve ser ainda maior. Dessa forma, o lucro da fabricante seria de 253 yuans em cada unidade (R$ 147), já que o preço estimado da versão mais básica do K30 5G é de 1,999 yuans (R$ 1.165).

(Fonte: NewsDio/Reprodução)

Como o lucro unitário não é muito alto, os ganhos maiores da Xiaomi viriam com as vendas de grandes quantidades do aparelho. Lembrando que o modelo com suporte a 5G tem previsão de chegada às lojas chinesas a partir de janeiro de 2020, enquanto a variante 4G já está disponível em pré-venda.

Lucro pode ser maior em escala global

O relatório sobre a lucratividade da Xiaomi com o novo smartphone 5G leva em conta apenas o mercado chinês, no qual ela normalmente comercializa seus dispositivos por valores mais baixos. Com isso, é possível que a fabricante tenha rendimentos maiores quando começar a vender o K30 em outros mercados, nos quais os preços serão diferentes dos praticados em seu país de origem.

Xiaomi lucra quase nada com Redmi K30 5G, diz suposto analista