Há um vasto número de celulares construídos para o público infantil, mas muitas crianças não estão satisfeitas com eles, por isso as vemos com tanta frequência pedindo modelos específicos aos pais. Uma das marcas mais desejadas pelos pequenos é a Apple com seus iPhones, que estão cada vez mais comuns nas mãos deles.

Esse número de dispositivos com essa garotada é fomentado pelos próprios pais, que repassam o aparelho para os filhos ao comprarem um novo. Só que entregar um modelo com tantos recursos a um público de curiosidade aguçada é algo que exige certa cautela, para evitar que um presente bem intencionado vire um vilão e traga outros problemas para a família.

A preocupação com o controle dos pais chegou a níveis tão altos que, no início de 2018, dois acionistas de peso da Apple pediram, em uma carta aberta, que a empresa adote medidas que facilitem a gerência dos pais ao acesso do iPhone das crianças. Em resposta, a empresa da Maçã prometeu incluir alguns novos recursos para ajudar nessa vigilância familiar.

Enquanto a fabricante não implementa as novas funcionalidades, os pais devem explorar alguns recursos já existentes no iOS que ajudam no controle de acesso, cercando muitas das principais preocupações. Conheça-os a partir de agora!

Antes de tudo, habilite as restrições

No Windows essa área é chamada de controle dos pais, porém a Apple se limita a nomeá-la de restrições. Para habilitar os recursos, navegue pelo caminho: Configurações > Geral > Restrições > Habilitar restrições. Pronto, agora já podemos impor alguns limites ao seu filho enquanto ele navega pelo iPhone.

1. Desative alguns aplicativos

Logo que as restrições forem ativadas, surgirá uma área chamada "Permitir". Nesse ambiente, você pode limitar o uso ou bloquear por completo alguns apps que a criança não deve acessar sem a supervisão de um adulto. Por exemplo, o navegador Safari pode ser desabilitado, impedindo assim que ela tenha amplo acesso a sites da internet. Ou você também poderá bloquear o FaceTime, evitando que ela converse com outros contatos via vídeo.

2. Limite os conteúdos

Nem sempre será viável desativar por completo alguns apps, ou talvez seja até impossível, pois alguns deles são essenciais para o sistema, como a Apple Store, por exemplo. Mas você pode restringir os acessos. Se você acha interessante que ele utilize o Safari para pesquisa, mas não quer que ele acesse sites pornográficos, escolha esse filtro. Há outras opções também, como o bloqueio de compras na lojas de aplicativos usando seu cartão de crédito.

3. Configure a privacidade

Esse controle é muito importante para a gestão dos acessos da criança. Nele você consegue evitar que ela faça alterações e vários aplicativos que violem a sua privacidade. Por exemplo, o serviço de localização, importante para que você a rastreie, pode ser impedido de ser desativado. Ou você poderá controlar quais aplicativos acessam a galeria de fotos ou a câmera, evitando que ela compartilhe fotos pessoais em locais duvidosos da web.

4. Limite as alterações no sistema

Que criança é curiosa todos nós sabemos, mas essa destreza em explorar tudo o que vê pode gerar uma grande bagunça ou até mesmo pôr em risco a própria segurança. Para eliminar as chances de configurações erradas, limite o que ela consegue alterar no sistema. Isso evita que ela modifique configurações da sua operadora ou comandos delicados.

5. Ajuste a jogatina

Talvez o interesse por jogos seja o principal motivo de seu filho desejar um iPhone, afinal esse público adora gastar seu tempo na imensa lista de games da Apple Store. Mas tome cuidado para que não sair do controle, pois o vício em games será considerado doença pela OMS.

Nas configurações, certifique-se de limitar os jogos, para que o seu filho não tenha acesso a ambientes de jogatina online, pois o perigo se instaura quando, além do celular, ele estiver disputando com alguém. Desative a possibilidade de multijogadores e de captura de tela durante as aventuras.

6. Ative a aprovação de compras

Se o seu filho tiver menos de 13 anos, essa função já virá como padrão. Caso contrário, você precisará ativá-la nas configurações. É importante ter o controle de todas as transações da conta, evitando sustos no cartão de crédito.

Acesse Configurações > Seu usuário > Compartilhamento de família > Adicionar novo membro > Criar uma conta infantil. Nessa área, configure o controle das compras. Dessa forma, todos os membros poderão comprar com os dados do cartão do gestor, porém tudo passará pelo crivo de quem pagará.

7. Verifique o compartilhamento de localização

Veja se a opção de compartilhar o local está ativa. Essa parte é importante para que você localize o dispositivo e seu filho caso ele não atenda ligações ou responda as mensagens de texto. Assegure-se de que tudo está ativado aí.

Mesmo a Apple não tendo tantos recursos com foco específico para o controle dos pais, é possível ajustar muitas outras funcionalidades que permitem essa finalidade. 

O que você acha importante a empresa da Maçã incluir no iPhone após a solicitação dos acionistas? Você que é pai tem alguma necessidade específica? Conte para a gente nos comentários!

Cupons de desconto TecMundo: