O iPhone X foi apresentado pela Apple na semana passada e ele tem aquele preço nas alturas: parte de US$ 999 chegando até US$ 1.149. Infelizmente, uma grande marca ultrapassou a barreira dos US$ 1 mil por um smartphone — e o medo de que isso vire tendência é crescente.

Uma das questões que estão pairando sobre o novo iPhone X é o motivo do preço alto: será que as peças, produção e pesquisa e desenvolvimento realmente justificam os US$ 1 mil? Até o momento, não se sabe se o público engoliu bem: as vendas do novo smartphone começam apenas nos primeiros dias de novembro.

Ao colocar um preço de US$ 999 e lançar novos iPhone 8 e iPhone 8 Plus no mesmo dia, a Apple está "moderando" a demanda pelo iPhone X

De acordo com o The Wall Street Journal, a resposta para a pergunta acima está ligado aos seguintes fatos: datas de entrega apertadas, desafios no design, problemas na produção e até as encomendas.
O jornal conversou com um ex-funcionário da Samsung, chamado Asokan Ashok, que comentou o seguinte: "O mecanismo de encomendas, no qual os consumidores indicam a intenção de comprar um produto antes das vendas iniciarem, fornece dados iniciais que são essenciais para prever a demanda por um dispositivo e a distribuição da demanda pelas diversas configurações — e ambas as coisas são difíceis de prever antes da encomenda".

Ou seja: com uma grande mudança no hardware e design, os consumidores iriam aumentar consideravelmente a demanda. Contudo, ao colocar um preço de US$ 999 e lançar novos iPhone 8 e iPhone 8 Plus no mesmo dia, a Apple está "moderando" a demanda pelo iPhone X, nota o Wall Street. 

O que você acha? Colocar um preço alto no iPhone X foi uma maneira de moderar as entregas e não faltar aparelho nas prateleiras? Dê a sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: