Fonte da imagem: Reprodução/Forensic Science International

Com o aprimoramento de uma técnica já existente, pesquisadores da Universidade de Abertay Dundee, em conjunto com a polícia inglesa, desenvolveram uma forma de visualizar com perfeição qualquer impressão digital presente em tecidos.

A partir de estudos com a captação de detalhes de impressões digitais em superfícies planas, os pesquisadores conseguiram obter resultados impressionantes ao reproduzir imagens da palma da mão nos testes realizados. O resultado é quase como um negativo de uma fotografia, permitindo identificar com precisão o individuo responsável pela marca.

O sistema de metalização a vácuo é utilizada desde a década de 70 para captar imagens em superfícies lisas, porém, ainda não havia êxito ao visualizar impressões feitas em peças de tecido.

O processo não é simples de ser feito: o tecido é colocado em uma câmara de vácuo para que uma pequena porção de ouro seja aquecida e espalhada por todo o tecido. Depois, certa quantidade de Zinco é aquecida e novamente derramada sobre a superfície. Com isso, os metais se unem às áreas em que houve o contato, deixando as impressões digitais à mostra com bastante clareza.

Fonte da imagem: Reprodução/Forensic Science International

Além da captação de digitais, o sistema permite visualizar as áreas em que houve contato com o suor do individuo, facilitando a identificação do DNA e o entendimento de sequencias de fatos em crimes. Assim, é possível ter saber com certeza se um indivíduo foi empurrado ou pulou de um prédio, por exemplo.

As pesquisas ainda estão em estágio inicial, porém, existem altas expectativas de que a técnica venha a fazer parte de investigações policiais em um futuro próximo.

Cupons de desconto TecMundo: