Candyman: DaCosta é 1ª diretora negra a liderar bilheterias no cinema

1 min de leitura
Imagem de: Candyman: DaCosta é 1ª diretora negra a liderar bilheterias no cinema
Imagem: IMDb/Reprodução
Avatar do autor

A Lenda de Candyman chegou aos cinemas dos Estados Unidos no último final de semana e se tornou o primeiro filme dirigido por uma mulher negra a liderar as bilheterias. O longa, dirigido por Nia DaCosta, superou a comédia Free Guy, com Ryan Reynolds, e arrecadou pouco mais de US$ 22 milhões.

Até então, apenas três filmes dirigidos por mulheres chegaram próximos do feito. Selma: Uma Luta pela Igualdade (2014) e Uma Dobra no Tempo (2018) de Ava DuVernay e Além dos Limites (2000) de Gina Prince-Blythewood, que estrearam em segundo lugar. Uma Dobra no Tempo até conseguiu uma bilheteria superior ao do filme de DaCosta em sua primeira semana nos cinemas, mas não conseguiu bater Pantera Negra na ocasião.

Teyonah Parris e Nia DaCosta em 'A Lenda de Candyman'.Teyonah Parris e Nia DaCosta em 'A Lenda de Candyman'.Fonte:  IMDb/Reprodução 

Win Rosenfeld (Infiltrado na Klan) assina o roteiro de A Lenda de Candyman, ao lado de Jordan Peele (Corra!), que também produz o longa. O filme segue o artista visual Anthony McCoy (Yahya Abdul-Mateen II) e sua namorada Brianna Cartwright (Teyonah Parris), a diretora de uma galeria de arte.

Depois de ouvir uma lenda urbana em torno de Helen Lyle (do filme de 1992), McCoy se aventura em busca de inspiração e é apresentado à história de Candyman. Suas tentativas de chamar a atenção para a história por meio da arte resultam no próprio mito surgindo, anunciando a desgraça para todos ao redor de McCoy.

O filme é uma espécie de sequência do longa de 1992, que adaptava o romance homônimo de Clive Barker. Ambas as histórias são ambientadas em Cabrini Green, uma região periférica de Chicago.

Fontes