Warner voltará a ter janela de exibição exclusiva para cinema em 2022

2 min de leitura
Imagem de: Warner voltará a ter janela de exibição exclusiva para cinema em 2022
Imagem: Warner Bros./Divulgação
Avatar do autor

Depois de ter gerado muita polêmica, o lançamento dos filmes da Warner Bros. nos cinemas e no HBO Max parece ter chegado ao fim. De acordo com o Deadline, o estúdio fechou um acordo com a rede Regal Cinemas — pertencente ao grupo Cineworld —, para o lançamento de grandes produções durante uma janela de 45 dias.

“Estamos muito felizes com o acordo com a Warner Bros.”, disse o CEO da Cineworld, Mooky Greidinger, em um comunicado. “Este contrato mostra o compromisso do estúdio com o setor de cinemas e vemos esse contrato como um marco importante em nosso relacionamento de 100 anos com a Warner Bros.”.

Em dezembro de 2020 anunciou que iria lançar todos os seus filmes de 2021 nos cinemas e no HBO Max, simultaneamente. A medida gerou o incômodo de diversos cineastas como Denis Villeneuve, que afirmou que “O streaming pode produzir ótimo conteúdo, mas não filmes da escala de Duna. A decisão da Warner Bros. significa que Duna não terá a chance de ter um desempenho financeiro para ser viável e a pirataria acabará triunfando. A Warner Bros. pode simplesmente ter matado a franquia Duna”.

Denis Villeneuve nos bastidores de 'Duna'.Denis Villeneuve nos bastidores de 'Duna'.Fonte:  IMDb/Reprodução 

Christopher Nolan foi outro que veio a público comentar sobre a polêmica decisão. Ele usou como justificativa a queda das ações da AMC Theatres e do IMAX na bolsa de valores. “A decisão deles não faz sentido econômico e mesmo o investidor mais casual de Wall Street pode ver a diferença entre disruptivo e disfuncional”, comentou o cineasta na ocasião.

Até o momento não há informações se outras redes de cinema estão negociando o lançamento antecipado, em relação ao HBO Max. Porém, contratos de exclusividade com uma janela inferior à de 90 dias — opção mais comum antes da pandemia — estão se tornando comum. A Paramount anunciou recentemente janelas de 45 dias para suas grandes produções, como Missão: Impossível 7 e uma janela ainda mais curta de 30 dias para títulos menores.

Já a Universal assinou acordos com a AMC e a Cinemark para filmes com orçamento inferior a US$ 50 milhões no mercado interno, que chegarão aos serviços de aluguel digital 17 dias após sua estreia, enquanto filmes com fins de semana de estreia maiores podem começar com locações pagas 31 dias após a estreia.

A Disney também tem experimentado lançamentos premium em streaming por meio de seu programa Disney+ Premiere Access, que ofereceu filmes como Mulan e Raya e o Último Dragão por uma taxa adicional de R$ 69,90. Viúva Negra e Cruella também serão oferecidos para aluguel na plataforma de streaming, simultaneamente com suas respectivas estreias nos cinemas.


Warner voltará a ter janela de exibição exclusiva para cinema em 2022