Liga da Justiça: saiba o que a crítica achou do Snyder Cut

3 min de leitura
Imagem de: Liga da Justiça: saiba o que a crítica achou do Snyder Cut
Imagem: DC/Reprodução
Avatar do autor

ATENÇÃO: SPOILERS À FRENTE!

Liga da Justiça: Snyder Cut finalmente estreou no HBO Max - e em alguns serviços online no Brasil - e já existem muitas opiniões pela internet sobre a nova versão do filme de 2017 da DC. Os críticos das grandes plataformas já deram seu veredito, promovendo, nesse primeiro momento, 78% de avaliações positivas no Rotten Tomatoes.

No geral, os reviews foram positivos, mas, em sua maioria, destacaram o prolongamento desnecessário da versão.

(DC Films/Reprodução)(DC Films/Reprodução)Fonte:  DC Films 

Confira, a seguir, as críticas dos principais portais de cinema e entretenimento do mundo, destacando os diversos pontos do tão aguardado Snyder Cut.

Deadline - Todd McCarthy

"É uma sensação de pavor que define o único registro dramático empregado durante todas as quatro horas. Em um momento de caridade, você poderia elogiar Snyder por manter um clima tão bem-sucedido por tanto tempo, mas poderia criticá-lo mais prontamente por nunca tentar animar as coisas um pouco, para variar o ritmo de seu desenvolvimento prolongado de personagens que não poderia ser mais unidimensional.

Ao mesmo tempo, o Snyder Cut inegavelmente possui seu próprio tipo de integridade, que, no mundo da produção de filmes de franquia, é algo raro".

The Guardian - Peter Bradshaw

"Para mim, a Liga da Justiça ainda não tem a cor, o talento, o snap e o zap dos Vingadores no MCU; ele ganha mais vida nas configurações regulares da cidade do que parece querer evitar.

O filme tem algo absurdo, mas surreal, e há um epílogo perturbador em que Wayne é confrontado por seus demônios pessoais. O filme de Snyder pode ser exaustivo, mas é envolvente. Justiça é feita".

The New York Times - Maya Phillips

"O enorme tempo de execução permite que o espaço da narrativa se estenda, para melhor ou para pior.

Para melhor: há uma mitologia ambiciosa em ação, revelando o épico que Snyder havia imaginado e restaurando detalhes de construção do mundo, como a Mulher Maravilha que descobre o plano de Steppenwolf e a extensão da conexão de Cyborg com as Caixas Maternas.

Para pior: Snyder também se arrasta por uma exposição aparentemente interminável (e inútil), adicionando profundidade o suficiente para cada herói da Liga da Justiça, nos fazendo investir nesses personagens, para nos importarmos quando eles finalmente vestem as camisetas do time e saem para o embate".

Variety - Owen Gleiberman

"A 'Liga da Justiça' realiza em quatro horas o que Os Vingadores fizeram em nove. Une uma equipe de super-heróis, mas nunca esquece que cada um deles é seriamente digno de sua própria história. Ele os coloca contra uma gigantesca chapa de maldade rochosa, [...] e é finalmente uma surpreendente história de morte e ressurreição. Os cinco membros da Liga da Justiça, reunidos por Batman e Mulher Maravilha, percebem que não podem salvar a Terra sem Superman, que não está mais com eles. Então, eles usam uma das três caixas materna para ressuscitar Clark Kent dos mortos - uma reviravolta na história que estava lá na versão de 2017, mas é isso, estava apenas... ali. Aqui, o redespertar duramente conquistado do Super-Homem torna-se uma saga própria".

Collider - Matt Goldberg

"Mas a experiência de assistir o Snyder Cut é confusa. Em sua entrevista para a Vanity Fair, Snyder revelou que nunca tinha visto a versão 2017. Talvez devesse, porque, se tivesse, saberia que, estruturalmente, os filmes são espantosamente semelhantes. [...] as diferenças não parecem monumentais. Na maioria das vezes, a experiência de assistir o Snyder Cut é como assistir à versão estendida do original . Em outras palavras, é um corte bruto, mas com a vantagem de um VFX acabado.

CNET - Richard Trenholm

Apesar de seu comprimento, o corte Snyder não apresenta nada significativo ou significativamente novo. Liga da Justiça de Zack Snyder, de quatro horas, parece essencialmente o mesmo filme que a versão teatral de duas horas, só que mais longa. Às vezes, parece menos uma história e mais um videogame em que você vagueia pelo universo DC interagindo com personagens não jogáveis.

TV Line - Matt Webb Mitovich

"Cyborg, que era o personagem mais frágil da Liga da Justiça, teve o maior desenvolvimento, aumentando exponencialmente o tempo de tela para Ray Fisher e Joe Morton. Ao todo, Cyborg era um personagem muito mais ativo, regularmente empregando suas habilidades de computador que foram vagamente mostradas no filme original.

Já Steppenwolf, estava agindo sozinho para adquirir todas as três Caixas Maternas, criar a Unidade e terraformar a Terra. O #SnyderCut, porém, contou uma história mais rica e melhor - que Steppenwolf estava em uma espécie de viagem de redenção, visando mundo após mundo até que ele tropeçou na Terra, que tinha a Equação Anti-Vida literalmente cravada em sua superfície".

Resumindo, as opiniões, até aqui, foram mornas. Porém, destacam uma leve evolução do corte em relação ao original.

E, você, já viu o Snyder Cut? Nos conte o que achou!

Liga da Justiça: saiba o que a crítica achou do Snyder Cut