365 Dias: novo filme da Netflix causa polêmica entre assinantes

1 min de leitura
Imagem de: 365 Dias: novo filme da Netflix causa polêmica entre assinantes
Imagem: IMDb
Avatar do autor

Um novo filme disponibilizado na Netflix causou polêmica com alguns assinantes da gigante do streaming. 365 Dias (365 Dni, no original) está sendo acusado de romantizar a síndrome de Estocolmo, ao colocar uma mulher se apaixonando pelo seu sequestrador.

O filme conta a história de Laura Biel, uma jovem que viaja para a Sicília de férias com o namorado. Ela acaba sendo sequestrada por Massimo, um membro da máfia local, que tentará fazer de tudo para que Laura se apaixone por ele enquanto a mantém em cativeiro por 365 dias.

No Twitter, diversas pessoas se manifestaram criticamente à abordagem do filme.

“Acabei de assistir 365 Dias, e enquanto as cenas de sexo eram ótimas, a história em si romantiza apenas o sequestro e um relacionamento abusivo. Você basicamente assiste uma garota com síndrome de Estocolmo”.

“Assisti 365 Dias por causa do ruído que ele criou. Posso dizer que o filme está sendo muito superestimado? Só consegui sentir vergonha com os diálogos, o enredo previsível e as reviravoltas irreais.

Você sabe como se chama quando você se apaixona pelo seu sequestrador? Síndrome de Estocolmo. Não é amor”.

“Há uma enorme diferença entre fantasia e realidade. Se você é um cara, por favor, não se inspire [no filme]. Nenhuma garota quer ser sequestrada e obrigada a se apaixonar”.

365 Dias é baseado no romance da escritora polonesa Blanka Lipinska. A direção é de Barbara Bialowas e Tomasz Mandes, que também assinam o roteiro.

O longa-metragem também está disponível na Netflix Brasil, e você pode assistir à produção através deste link.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
365 Dias: novo filme da Netflix causa polêmica entre assinantes