Foi preso na Inglaterra na semana passada o hacker Cristian Antonio Pereira. O sujeito é acusado de invadir perfis de mulheres no Facebook para surrupiar dados comprometedores — conteúdos que eram então utilizados como moeda de troca em chantagens. Conforme contou a última edição do programa Fantástico, da Rede Globo, para devolver os vídeos e fotos, Pereira exigia que as vitimas praticassem sexo virtual com ele.

Natural de Rolândia, Cristian Pereira possuía dupla cidadania, o que permitia que invadisse contas de mulheres brasileiras a partir de sua residência na Inglaterra. O homem utilizava perfis falsos (ou roubados) para conseguir acesso às mulheres e, após algum galanteio, roubava a senha da rede social e rapidamente a modificava — embora prometesse devolver o controle da conta, caso conseguisse o que queria.

Informações em troca de sexo virtual

“Ele começou a querer me ver, a querer que eu tirasse a parte de cima da blusa, a querer que eu ficasse pelada para ele”, disse uma das vítimas abordadas pelo hacker. Em um vídeo divulgado pelo Fantástico, é possível ver Pereira chantageando uma mulher, dizendo que devolveria um vídeo íntimo protagonizada por ela e pelo namorado caso a moça tirasse a roupa em frente à webcam.

Caso a mulher se recusasse, o hacker afirmava que divulgaria as informações pela internet. “Você não vai me mostrar os seus peitos? Você não está fazendo nada que eu estou pedindo”, disse Pereira. “Quando teu filho crescer, você explique para ele isso.” Ao resistir aos apelos, a mulher é então ameaçada de violência física. “Ou vai acontecer pela internet ou vai acontecer pessoalmente”, disse o hacker no vídeo. “Você que escolhe. Não é a primeira vez que eu faço isso, não.”

Para ganhar acesso às contas das vítimas, Cristian Pereira começava por enviar uma solicitação de amizade. Em seguida, o hacker enviava um link qualquer. Caso a vítima clicasse, era emitida uma mensagem de desconexão do Facebook. Ao tentar efetuar o login novamente, as mulheres então forneciam os dados para o sujeito.

Condenação por estupro em Rolândia

De acordo com informações da Interpol do Paraná, não se trata das primeiras acusações contra o hacker. Pereira foi também condenado em 2012 pelo estupro de uma mulher na cidade de Rolândia (PR). De acordo com o delegado Renato Lima, a comparação entre as impressões digitais revelou que se trata da mesma pessoa.

Na ocasião, o hacker foi condenado a 13 anos e seis meses de cadeia — sentença que, entretanto, permanece em aberto. A Justiça já pediu a extradição de Cristian Pereira, de forma que o acusado responda pelos crimes no Brasil.

Precaução e denúncia

Embora seja particularmente “pitoresco”, o caso envolvendo Cristian Pereira certamente é apenas mais um entre inúmeros crimes empreendidos pela internet diariamente. Dessa forma, especialistas recomendam algumas atenções básicas a serem tomadas por qualquer internauta.

De acordo com a perita em crimes virtuais Iolanda Garay, é preciso ter atenção redobrada com quaisquer conteúdos recebidos por e-mail ou pelas redes sociais. “Duvide até mesmo de seus amigos”, disse ela ao Fantástico. Garay também recomenda ter sempre um antivírus atualizado e também reforça: a denúncia é sumamente importante.

“É importante não se deixar levar pelo medo e pela ameaça. O maior trunfo desses maníacos é o pânico das pessoas (...)”, diz. A especialista lembra que quase 100% dos crimes virtuais denunciados são solucionados.

Cupons de desconto TecMundo: