(Fonte da imagem: ThinkStock)

Não é só no Brasil que os crimes virtuais são levados cada vez mais a sério. O russo Georgy Avanesov, que residia na Armênia, recebeu do tribunal local uma pena de quatro anos de prisão por ser o responsável por criar e espalhar o vírus Bredolab em 2009.

Avanesov usava servidores na França e na Holanda como botnets para espalhar o malware pela internet e chegou a lucrar US$ 125 mil por mês, já que ele vendia o acesso às máquinas comprometidas para que outros criminosos acessassem as informações obtidas, enviassem mais malwares ou spams e até usassem o computador como parte de ataques DDoS.

Apesar do julgamento só ter saído nesta semana, segundo o Wired, o russo de 27 anos está preso desde 2010, quando autoridades holandesas apreenderam 143 máquinas infectadas com o vírus. Como defesa, ele alegou que escreveu o código do Bredolab, mas apenas o repassou para amigos, sem saber de seu potencial criminoso.

O vírus

A forma de infecção pelo Bredolab (ou Oficla, como também é conhecido) se dá ao baixar anexos de emails supostamente de bancos ou serviços de correios, mas enviados por botnets. O malware era responsável por coletar dados pessoais e senhas bancárias dos infectados, que somam 30 milhões ao redor do mundo.

Fonte: Wired

Cupons de desconto TecMundo: