(Fonte da imagem: Reprodução/PCGamesN)

Não há como negar que, de todas as plataformas e aparelhos eletrônicos que possuímos atualmente, o PC é o mais versátil. E segundo Frank Azor, gerente-geral da Alienware, é exatamente essa versatilidade que os consoles estão buscando para atrair os consumidores.

Em entrevista ao PCGamesN, Azor comentou que “os consoles estão se parecendo mais e mais com PCs todos os dias”. De acordo com ele, a Sony e a Microsoft estão basicamente criando computadores feitos para se usar na sala de estar. Como exemplo, ele cita as semelhanças que os consoles possuem com os PCs: “É uma CPU AMD, é uma placa de vídeo AMD, é um disco rígido padrão de desktops. É inacreditável”, declarou, frustrado.

Nas semelhanças de serviços e ferramentas, é possível perceber ainda mais. “Você está instalando games agora no lugar de rodá-los do disco, porque é a coisa certa a se fazer; você está baixando games digitalmente, o que nós estivemos fazendo no PC por anos; eles estão integrando certos aspectos de TV, bem, dez anos atrás nós começamos experimentando com o Media Center”, disse Azor.

O “preço” de um bom PC

Se os PCs são mesmo tão superiores, por que suas vendas têm diminuído cada vez mais e as compras de consoles só aumentam? É importante comentar o único ponto que Azor deixou de lado, que é, na maioria dos casos, o principal problema na hora de escolher entre computadores e consoles: o preço.

O fato é que os consoles, além de definirem a média de qualidade dos games com seu hardware, ainda são muito mais baratos – um console, durante sua “vida” no mercado, custa em torno de 1.500 reais aqui no Brasil. Já um PC com a mesma capacidade costuma sair duas vezes mais caro; logo, muitas pessoas veem isso como um investimento desnecessário.

Cupons de desconto TecMundo: