Nós já falamos aqui no TecMundo a respeito do Blackbird, aquela plataforma motorizada que pode ser utilizada para replicar virtualmente qualquer carro do mundo e que é usada principalmente em comerciais de montadoras. Agora, como exatamente isso funciona? Existem outros métodos tradicionais por aí, mas quais são os detalhes por trás do Blackbird?

O pessoal da revista britânica Top Gear foi atrás dos criadores da engenhoca, a empresa inglesa The Mill, que explicou melhor seu funcionamento. A principal vantagem em relação às réplicas digitais mais conhecidas é que o Blackbird é uma representação física de um veículo, o que significa que ele consegue transmitir um comportamento mais crível para as cenas, como quando passa por terrenos acidentados ou levanta poeira em estradas de terra por aí.

Além disso, a distância entre-eixos é customizável e pode replicar as medidas de qualquer carro, além de todas os outros parâmetros da suspensão, como dureza, taxa de compressão e retorno, o que permite a demonstração do comportamento e da proporção do tamanho de qualquer modelo de forma fiel. Chega a ser meio absurdo!

Não é feitiçaria, é tecnol... Não, é feitiçaria sim

A plataforma é movida por um motor elétrico que também é programável para se comportar da mesma forma que um determinado motor, inclusive replicando características de aceleração e escalonamento de marchas. A parte de som, no entanto, deve ser incluída na pós-produção, junto com o modelo da carroceria.

Essa parte da pós-produção, inclusive, é uma das mais legais porque mostra como o Blackbird interage com o mundo ao seu redor. Ele vem equipado com um conjunto de câmeras com estabilizadores que dão uma visão de 360 graus.

Além dele, o "veículo" também enxerga através de um sensor LIDAR – sim, os mesmos utilizados em veículos autônomos de nível 4, como os da Google, por exemplo.

Mas por que utilizar essas câmeras e sensores se o carro é dirigido por uma pessoa, como um modelo normal? Simples: as imagens das câmeras e o mapeamento 3D feito pelo LIDAR ajudam os magos da computação gráfica a terem uma noção de como deverão ser os reflexos na carroceria do carro digital e como ela deve se comportar em terrenos acidentados.

A visão do Blackbird em 360 graus

O Blackbird vem sendo utilizado não apenas em comerciais, mas principalmente na indústria cinematográfica, que só precisa de uma única plataforma para recriar qualquer carro que quiser.

O vídeo na íntegra feito pelo pessoal do Top Gear você pode conferir abaixo:

Ainda não é possível recriar um caminhão ou um veículo de grande porte – mas, depois de ter feito o Blackbird, isso não deve ser difícil para a The Mill.

Cupons de desconto TecMundo: