Você deve ser lembrar do Blackbird, aquela plataforma que poderia virar qualquer carro virtualmente, certo? A Bugatti estava com um problema: ela precisava gravar um vídeo de seu mais novo supercarro superlativo, o Chiron, mas... não tinha um, porque o veículo ainda não foi produzido.

O que fazer, então? Simples: apelar para os magos da computação. No caso da Bugatti, especificamente, quem deu uma “mãozinha” foi uma empresa de computação gráfica chamada SLGH, que criou um Chiron de mentirinha a partir do modelo que serviu como base para sua própria gênese: o Veyron.

Eles filmaram o grandalhão andando em uma pista, coberto por marcadores que auxiliaram no rastreamento de movimento e, com uma mágica computacional, criaram um carro que nem existe fisicamente ainda.

O vídeo acima permite fazer a comparação perfeita da mudança de carroceria e a exatidão das dimensões do chassis entre o Veyron e o Chiron, além de mostrar todo o esforço para “atualizar” os modelos sem o veículo estar lá de fato.

Pois é: hoje em dia, mais do que nunca, você não pode acreditar em absolutamente NADA do que vê.