Apesar de a Samsung já estar colocando smartphones com telas curvas no mercado há alguns anos, poucas outras fabricantes entraram nessa brincadeira até o momento. A própria LG, que sempre pareceu estar interessada nesse tipo de tecnologia, deixou isso meio de lado. Portanto, sobrou para a Xiaomi fazer um certo antagonismo à Samsung com o Mi Note 2.

Esse aparelho, assim como o S7 Edge, tem as duas bordas laterais do display curvadas e muitas outras similaridades com os produtos da coreana. Por isso, a gente resolveu fazer um comparativo entre o dispositivo da Xiaomi e o supracitado Galaxy S7 Edge.

Tipo de TelaSuper AMOLED com 16 milhões de coresAMOLED com 16 milhões de cores
Tamanho de Tela5.5 polegadas5.7 polegadas
Resolução de Tela2560 x 1440 pixels1920 x 1080 pixels
ChipsetQualcomm Snapdragon 820 / Samsung Exynos 8890Qualcomm MSM8996 Snapdragon 821
Memória RAM4 GB de RAM4/6 GB de RAM
Armazenamento Interno32 / 64 GB64/128 GB de RAM
Câmera Traseira12 MP, abertura f/1.7, sensor de 1/2.6', pixels de 1,4 µm, com resolução máxima de 4032 x 3024 pixels22.5 MP, abertura f/2.0, pixels de 1 µm, com resolução máxima de 5488 x 4112 pixels
Capacidade de Bateria3600 mAh4070 mAh

Curvatura da tela

Superficialmente, o que você nota de diferente entre esses dois modelos é a intensidade da curvatura da tela. O celular da Samsung tem uma “onda” significativamente maior, o que o torna mais atraente aos olhos em um primeiro momento. No produto da Xiaomi, essa curvatura não tem qualquer funcionalidade objetiva que não ergonomia. Isto é, está ali apenas para facilitar a usabilidade na hora que o usuário precisa interagir com as bordas do display.

A Samsung tenta justificar sua tela curvada com alguns atalhos que podem ser acessados a partir da lateral direita do display, mas nada do que esse recurso traz é de fato único ou algo que não poderia ser feito de uma outra maneira igualmente fácil. Em essência, as curvaturas nas telas dos dois smartphones só estão ali para melhorar a pegada e para chamar atenção com um design arrojado.

Sobre a qualidade dos displays, temos uma diferença tremenda. A tela do S7 Edge é bem melhor que a do Mi Note 2. Ela não apenas tem resolução 2K, mas também consegue atingir um nível de brilho muito maior. A representação das cores no visor da Samsung é muito mais vívida e, por mais incrível que possa parecer, menos saturada na comparação com o display da chinesa. Contudo, a simplicidade da tela do Mi Note 2 também joga a seu favor.

Autonomia

Sob uso bem leve, a gente conseguiu fazer o celular durar praticamente dois dias

Se você pensou que esse “joga a seu favor” tem a ver com a autonomia de bateira, você está certo. O fato de o display Full HD requerer menos energia para funcionar combinado com a capacidade de carga maior fizeram com que o Mi Note 2 consiga uma autonomia bem mais interessante. Sob uso bem leve, em um daqueles feriados preguiçosos que você mal sai do sofá, a gente conseguiu fazer o celular durar praticamente dois dias em uma carga só.

Com o celular da Samsung, isso é virtualmente impossível, a menos que você deixe o smartphone sem chip de operadora. Nas mesmas condições do teste do Mi Note 2, o S7 Edge aguenta quase um dia e meio. Em contrapartida, a coreana oferece carregamento sem fio em seu produto, e ambas entregam carregamento rápido via cabo.

Mais rápido

Como o Mi Note 2 é o aparelho mais recente e conta com mais memória RAM, não é surpresa para ninguém que ele consiga melhores resultados nos testes de benchmark. Para falar a verdade, ele venceu o S7 Edge em todos os testes que o TecMundo faz para analisar smartphones, exceto no HTML5 do Vellamo. Isso quer dizer que o smartphone da Samsung navega com o Google Chrome com mais agilidade que o da Xiaomi.

No geral, o modelo chinês consegue carregar e executar jogos pesados com mais rapidez. Isso porque seu processador é mais atual e, novamente por conta da RAM, que tem 50% mais capacidade na comparação com o S7 Edge. Ainda assim, ambos os smartphones rodam qualquer game ou app da Google Play sem maiores dificuldades.

Boa aparência

Nós já comentamos um pouco sobre design ao falar sobre as telas curvas, mas é preciso detalhar um pouco mais esse assunto neste comparativo. Isso porque, apesar de ser bonito e muito bem construído, o celular da Xiaomi é muito parecido com o Galaxy Note 7, aquele celular que a Samsung colocou no mercado global há alguns meses e, logo em seguida, recolheu todas as unidades porque as baterias começaram a explodir.

Não muda o fato de que ele é essencialmente uma cópia do finando phablet da Samsung

Portanto, por mais que você goste da Xiaomi e por mais que o aparelho seja bom — ele realmente é —, não muda o fato de que ele é essencialmente uma cópia do finando phablet da Samsung no que diz respeito ao design. A maior diferença é a falta da caneta stylus no Mi Note 2, além de algumas funcionalidades proporcionadas por esse acessório no Note 7.

Por consequência disso, o smartphone chinês também se parece um pouco com o Galaxy S7 Edge, que foi uma inspiração para a criação do dito phablet. Note o formato do botão home e, especialmente, a forma como a moldura metálica se integra ao vidro. É tudo muito similar.

Mesmo assim, não dá para condenar o aparelho da Xiaomi só por isso. Ele é sim bonito e passa uma boa sensação de segurança nas mãos. Contudo, seu acabamento é inferior ao do S7 Edge. A unidade do Mi Note 2 que recebemos para testes tinha o vidro da frente um pouquinho saltado para além da moldura na parte superior e inferior. Assim, passando o dedo nessa região, você logo percebe o elemento meio afiado.

Fora isso, ele também não é tão resistente a riscos quanto a oferta da Samsung. Em apenas duas semanas com o Mi Note 2, notamos que ele já ganhou um risco na parte de trás, mesmo com uso quase integral da capinha protetora que vem com ele na caixa. O S7 Edge é equipado com Gorilla Glass 4 nas duas faces, enquanto a Xiaomi não revela oficialmente qual é o material protetor no seu smartphone.

A melhor interface

O jogo vira rapidamente quando falamos de interface. A MIUI 8 que vem no Mi Note 2 é mais bonita que a TouchWiz da Samsung por contar com um design mais minimalista, moderno e com um esquema de cores mais agradável. Os movimentos e transições também são bem mais lisos e passam uma sensação de fluidez maior. Há ainda bem menos apps pré-instalados de fábrica, e muitos deles foram bem elaborados e possuem alguma utilidade. Algo que a Samsung só poderia dizer sobre sua interface a partir do trabalho que fez com o Galaxy S8.

Galaxy S7 e S7 Edge

Vale a gente destacar, entretanto, que a MIUI está longe de ser perfeita. A forma como ela lida com notificações, impedindo que o usuário as expanda para ver mais e responder a mensagens ali mesmo, é próximo do ridículo — a Xiaomi simplesmente tirou do Android uma das suas funções mais práticas. Eliminar notificações específicas quando há várias delas é meio difícil, e existem muitos itens mal traduzidos para o português, fora os que continuam no inglês ou mesmo no chinês.

A vantagem da Samsung aqui é o fato de o S7 Edge já estar sendo atualizado para o Android Nougat, coisa que ainda não tem data confirmada para começar a acontecer no Mi Note 2 global.

Fotografia

Você certamente está ciente de que os smartphones top de linha da Samsung sempre vão muito bem em avaliações de câmera, e, com o S7 Edge, a história não é diferente. Ele faz fotos de excelente qualidade e, junto com o Google Pixel e S7 comum, tem sido apontado como o melhor aparelho mobile para fotografia de 2016. O Mi Note 2 simplesmente não consegue acompanhar esse ritmo, tirando fotos bem básicas para a categoria dos top de linha.

As capturas do smartphone da Xiaomi não representam as cores tão bem nem mostram tantos detalhes quanto as do S7 Edge. Se você der zoom em uma imagem feita com o Mi Note 2, é possível ver muita granulação e um efeito bem esquisito nos contornos de objetos em linha reta. Em suma, o celular da Samsung é o grande vencedor nesse aspecto aqui, tanto na frontal quanto na traseira e também na gravação de vídeo.

Fotos feitas com o Mi Note 2

Fotos feitas com o Galaxy S7 Edge

O que mais?

É necessário comentar ainda que o modelo da coreana tem certificação IP68 e, por isso, é à prova d’água e também de poeira. Enquanto isso, o Mi Note 2 não conta com esse tipo de proteção. Em contrapartida, o leitor de digitais do smartphone da Xiaomi é mais rápido e preciso. Além disso, o Mi Note 2 dispões de uma função de software que permite “clonar” apps no celular e usar duas contas mesmo em softwares que não permitem esse tipo de coisa, como WhatsApp, Facebook e outros. Ou seja, em um celular dual-chip, você pode usar dois chips SIM.

A qualidade de som do Galaxy S7 é superior na comparação com o Mi Note 2, e o aparelho da Samsung vem com fones de ouvido na caixa, os quais inclusive são relativamente bons. Por outro lado, a Xiaomi não embarca nenhum acessório do tipo junto com seu produto. É só o cabo e o carregador mesmo.

Preço

Antes de começarmos a considerar a questão do preço, vamos esclarecer uma coisa: o smartphone da Xiaomi não é vendido no Brasil oficialmente e, por isso, você precisa fazer a importação via sites como GearBest. Nesse caso, nós recomendamos que você escolha a versão internacional do aparelho, pois ela não apenas tem mais RAM e o dobro de armazenamento na comparação com as locais, mas também é compatível com todas as frequências do 4G brasileiro, que já está começando a se expandir para a além da tradicional banda 7 (especialmente a TIM).

Considerando esse modelo mais parrudo, o Mi Note 2 custa algo em torno de US$ 500 na GearBest. Não é incomum ver preços bem maiores que isso, mas eles logo voltam ao normal. Considerando esse valor, o aparelho da Xiaomi deve sair por uns R$ 2,6 mil caso você pague o imposto de 60% na alfandega brasileira. Note, entretanto, que muitos leitores do TecMundo que já importaram produtos dessa e de outras lojas online acabaram pagando bem menos, mas não temos como garantir que isso vá acontecer com você também.

Seja como for, o S7 Edge no Brasil sai por algo entre R$ 2,2 mil e R$ 2,4 mil e tem garantia de um ano. A GearBest só oferece um curto prazo para trocas, o que não é algo comum em todos os sites de importação.

Mesmo considerando o fato de que o dispositivo da Samsung pode ser um pouco mais barato que o da Xiaomi (contando o imposto de 60% no valor da nota fiscal), nós ainda acreditamos que o Mi Note 2 é o aparelho mais completo e que vai oferecer a melhor experiência para o usuário. Contudo, se você não quer arriscar na importação e se importa mais com a câmera do que com qualquer outra coisa, o Galaxy S7 Edge é sim a melhor opção.

***

Gostou do nosso comparativo? Dê a sua opinião nos comentários e, caso tenha ficado interessado em algum dos smartphones, dê uma olhada nos preços que selecionamos abaixo.

Melhores lojas para comprar o Xiaomi Mi Note 2

  • Com 4GB RAM + 64GB Memória Interna: Gear Best
  • Com 6GB RAM + 128GB Memória Interna: Gear Best

Melhores lojas para comprar o Galaxy S7 Edge

Cupons de desconto TecMundo: