Sete em cada cinco fãs do universo cinematográfico da Marvel aguardam ansiosamente pela chegada de Capitão América: Guerra Civil. Para esquentar um pouco mais os ânimos de todos, um dos diretores do longa, Anthony Russo, esteve presente em um dos painéis da CCXP 2015 e revelou algumas novidades a respeito do filme – e até mesmo um trailer estendido que só havia sido exibido antes para os fãs presentes na conversão D23 da Disney.

No vídeo, uma versão estendida do trailer recentemente divulgado, podemos ver um pouco do vilão Ossos Cruzados, responsável por um dos incidentes que acabam causando a rixa entre os membros dos Vingadores. A gravação exibida também mostra outras cenas inéditas do longa, explorando um pouco mais os motivos que levam o Capitão a se tornar um foragido e bater de frente com o Homem de Ferro, a Viúva Negra e outros heróis.

No trailer, outro momento interessante envolve a aparição de Scott Lang, o Homem-Formiga interpretado por Paul Rudd, falando de forma atrapalhada enquanto tenta se enturmar com a equipe do Capitão. Além disso, outro momento curioso – que durou apenas alguns instantes – foi a cena de um funeral, o que volta a levantar questões sobre o impacto do filme no desenrolar do universo cinematográfico da Marvel.

Introduzindo novos rostos

Questionado sobre os personagens que farão sua primeira aparição em Guerra Civil, o diretor evitou dar muitos detalhes, mas comentou brevemente o papel do Pantera Negra e do Homem Aranha. Segundo ele, o herói africano tem um grande papel na história e, pelo menos no começo, não toma partido entre um lado ou o outro. “Ele está do próprio lado”, ressaltou.

No caso do Amigão da Vizinhança, Russo disse que o Cabeça de Teia sempre foi parte da história para ele e seu irmão, mesmo antes de saber que poderiam utilizá-lo na produção. “Os executivos nos falaram que essa seria uma situação complicada e que precisávamos de um plano B, e nós respondíamos que tínhamos um. Era mentira, sempre fizemos pensando em usar o Homem Aranha”, confessou o diretor.

Ainda assim, Anthony Russo ressalta que a história da Guerra Civil dos cinemas será apenas vagamente inspirada no material original dos quadrinhos, ainda que os elementos centrais da trama certamente estejam presentes. Dessa forma, o diretor pede aos fãs que mantenham a mente aberta e saibam de antemão que as coisas podem se desenrolar de forma bastante diferente – inclusive no que diz respeito ao papel de Peter Parker no conflito.

Não existe lado certo

Sobre o tom do filme como um todo, Russo afirmou que ele e seu irmão sempre gostaram de misturar gêneros em suas carreiras. No caso do novo longa, a ideia é combinar o universo dos super-heróis com um contexto de thriller político. “Nós determinamos que esse é um filme do Capitão América, então o tom tem que se manter. Mas também temos que mostrar personagens com poderes mais fantásticos, então o estilo obviamente também vai evoluir”, concluiu

Já quanto à escolha de qual herói iria apoiar que lado da disputa, Russo disse achar mais interessante pensar que todos estão tomando suas decisões mais por motivos pessoais do que por convicções ideológicas. Segundo Anthony, ele e seu irmão Joe gostam de filmes que fazem o público pensar e desejar ver tudo de novo para entender melhor todos os aspectos, o que também deve se aplicar à novidade.

“Quando chegar ao final, queremos que vocês não saibam quem está correto. Será que é o Capitão? Ou será o Homem de Ferro? Estariam ambos errados? Como eles vão poder continuar depois disso? É essa dúvida que desejamos. Eu e meu irmão somos fãs e é muito especial estar na franquia, pois sabemos da responsabilidade que temos. Por esse motivo, tentamos surpreender a nós mesmos”, explicou o diretor. O resultado vamos conferir na estreia em 28 de abril de 2016.

O que você espera da Guerra Civil da Marvel nos cinemas? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: