Apesar de bons lucros e recordes, promoção não foi tão bem (Fonte da imagem: Reprodução/Destroyer Games)

A Black Friday brasileira deste ano bateu alguns recordes de vendas, mas parece que nem tudo foram flores. De acordo com Nuno Fouto, diretor de pesquisas do Programa de Administração do Varejo (Provar), o desempenho da promoção foi menor do que o esperado. Fora isso, a famosa Black Fraude aconteceu novamente e ainda pior que em 2012. De acordo com a instituição, 21% dos produtos acompanhados tiveram seus preços inflados no dia anterior à sexta-feira de promoções.

O levantamento foi feito pelo Provar em parceria com uma empresa especializada em monitorar preços do comércio virtual. Ao todo, 1,3 mil itens bastante pesquisados nas lojas da internet brasileira foram avaliados e, desse total, 21% teve um aumento nos preços, em média, de 10,2%.

Vários preços também tiveram reduções, mas nada que possa ser comparado ao número de aumentos. De acordo com Fouto, 9,5% dos preços acompanhados nas 11 lojas participantes da Black Friday caíram durante a promoção. Em média, os valores foram cortados em 11%.

Pior que 2012

Para avaliar o desempenho da promoção neste ano, Fouto explicou ao jornal Estado de S. Paulo que logo após o fim da Black Friday, muitos itens tiveram reduções de preços, o que indica que a expectativa das lojas não foi alcançada durante a sexta-feira. Caso você não se lembre, praticamente todas as lojas participantes estenderam suas promoções para o sábado e até para o domingo. De acordo com Fauto, foi uma tentativa de desovar os estoques acumulados para a promoção para que não ficassem nos depósitos até o Natal. Nos dias seguintes à Black Friday, 22,6% dos preços acompanhados caíram. Em 2012, esse número foi de apenas 2,6%.

O Provar explica ainda que o desempenho considerado abaixo das expectativas foi um reflexo da desaceleração da economia. No ano passado, as vendas do varejo cresciam 8%. Neste ano, as taxas giram em torno de 4%.

Cupons de desconto TecMundo: