Em parceria com a Ericsson e a Qualcomm, a Claro recentemente realizou testes com redes 4,5G na cidade de Araras, no interior de São Paulo. Unindo as frequências de 1.800 MHz e 2.600 MHz, a operadora afirma ter alcançado velocidades de transferência de dados com valor máximo de 682 Mbps e média de 652 Mbps. Segundo a companhia, esses números representam a maior taxa de transferência já vista em uma rede comercial na América Latina.

Experiências similares haviam sido realizadas em dezembro do ano passado na cidade de Rio Verde, em Goiás, unindo as duas radiofrequências acima à dos 700 MHz, mas liberando apenas uma banda de cada e chegando a velocidades de 300 Mbps. Nos testes mais recentes, a faixa de 2.600 MHz operou com duas bandas liberadas, mas a de 700 MHz não foi utilizada.

Os testes foram feitos pela Claro em parceria com a Ericsson e a Qualcomm

Além disso, duas tecnologias distintas foram utilizadas para realizar melhorias de software para as redes LTE disponíveis hoje. A 4X4 MIMO dobra a capacidade de transferência de dados transmitidos para o smartphone do usuário, enquanto a LTE 256 QAM amplia a modulação no espectro disponível e melhora a eficiência da rede, multiplicando a taxa de transferência por 1,33 para os terminais móveis.

E no mundo real?

Considerando que boa parte das bandas largas fixas de fibra ótica que opera no Brasil atua com contratos entre 30 e 90 Mbps, os números atingidos pelo 4,5G da Claro podem parecer realmente impressionantes. No entanto, é preciso ter em mente que, caso o padrão passe a ser usado por uma grande quantidade de pessoas, é provável que a velocidade máxima que cada uma conseguirá atingir seja bem menor do que essa.

Também é preciso lembrar que toda essa rapidez de transmissão não deve ajudar muito se os usuários continuarem limitados por pacotes de dados com limites similares ao que vemos hoje no mercado. Outro ponto é o fato de que não são todos os smartphones em utilização pelo público brasileiro que conseguirão tirar o máximo de proveito da novidade. A experiência recente utilizou um terminal de testes com o modem Qualcomm Snapdragon X16 LTE.

Deve levar algum tempo até termos acesso às redes 4,5G

Além disso, o fato dos testes estarem sendo realizados agora não significa que veremos a novidade sendo transformada em um produto real em pouco tempo. Até o momento, nenhuma das empresas envolvidas nos experimentos deu uma previsão precisa de quando o 4,5G será disponibilizado no mercado.

Cupons de desconto TecMundo: