Nesta semana, o mundo inteiro parou para assistir ao curta-metragem cheio de violência e temas adultos envolvendo os clássicos Power Rangers. A recepção foi altamente positiva e muitos achavam até que o projeto deveria virar um filme de verdade. Quem não gostou nada disso foi a Saban, detentora da imagem do supergrupo nos Estados Unidos, que ameaçou tirar o vídeo do YouTube.

Agora, segundo o Deadline, essa novela terminou com um final feliz. Após uma reunião realizada na sexta-feira (27) sob termos não revelados, foi decidido que POWER/RANGERS pode voltar ao site de vídeos (além do Vimeo), como você confere acima.

O vídeo voltou com algumas alterações. Antes de começar, o clipe exibe uma tela de aviso afirmando que o conteúdo é um filme feito por fãs e que o produtor Adi Shankar não é dono dos direitos dos personagens. Ele não é, portanto, um pilto de um projeto a ser desenvolvido no futuro: foi cortada qualquer relação com a Saban Entertainment e a Lionsgate (que farão o novo longa-metragem oficial da equipe) e ele não receberá nenhum dinheiro por isso. Além disso, a versão do YouTube é censurada. O corte completo está disponível somente no Vimeo (clique aqui para assistir).

A versão do YouTube agora tem também um aviso sobre a idade recomendada para acessar o conteúdo — uma das exigências da Saban para que o público infantil não "confundisse" o show para crianças com o vídeo violento.

Cupons de desconto TecMundo: