Já faz algum tempo que Marte vem despertando a curiosidade de diversos centros de pesquisa, entre eles a NASA. Logo, era de se imaginar que algumas missões passassem a acontecer em intervalos mais regulares, e a agência espacial norte-americana já tem uma data para a sua primeira incursão no Planeta Vermelho: 2018. 

Porém, engana-se quem pensa que o único intuito do projeto é verificar o que há em Marte. A investida em questão inclui 13 equipamentos que serão enviados para realizar projetos científicos diferentes (um em um asteroide, alguns na Lua e outros no espaço), e um deles inclui usar um laser que ficará situado acima do satélite da Terra e vai escaneá-lo em busca de água. 

“Em uma missão futura, teremos que sobreviver fora da Terra, e esse mapeamento nos ajudará a encontrar bons pontos para isso”, explicou Jitendra Joshi, chefe do sistema de exploração espacial da NASA.

Explorando um asteroide 

Já a missão que envolve um asteroide vai acontecer naquele que possui a numeração 1991BG e foi batizada como NEA (Near Earth Asteroid) Scout. A ideia é realizar um pouso nele, capturar algumas imagens e enviá-las de volta à Terra para a formação de um banco de dados – posteriormente, essa investida poderá ser considerada uma precursora de missões com humanos. 

Por fim, há alguns detalhes sobre os outros projetos supracitados. Um deles envolve procurar por gelo lunar, e ainda temos uma estação espacial para monitorar a temperatura no espaço, um mapeador que vai investigar o que está escondido nas sombras permanentes da Lua e um projeto para medir a radiação espacial, além de três reservados para agências espaciais internacionais e outros três que foram descritos como “investigadores de civilização”.

A descoberta de água na Lua pode ser um divisor de águas para a população terrestre? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: