Você sabe qual é a diferença entre um raio e um trovão? Enquanto o primeiro é aquela descarga impressionante de eletricidade cujas fotos pipocam pela internet sempre que uma tempestade passa por algum lugar, o segundo é o nome que costumamos dar ao som igualmente assombroso que costuma acompanhar os raios com alguns instantes de atraso.

Embora todos estejamos acostumados a ouvir os trovões, até hoje nunca tínhamos conseguido obter uma representação verossímil de como seria a aparência desse tipo de fenômeno caso pudéssemos vê-lo com olhos nus. Graças a uma foto publicada como parte de um trabalho apresentado na União Geofísica Americana, no entanto, agora sabemos exatamente como se parece um trovão – como você pode conferir no início do texto.

O que vemos na foto é um mapa acústico detalhado feito a partir de um raio, o que serve para demonstrar a aparência de um trovão. Para obter os dados necessários para criar a imagem, o pesquisador Maher Dayeh foi até uma instalação militar norte-americana no estado da Flórida e disparou um foguete preso a um fio de cobre na direção de uma nuvem durante uma tempestade elétrica.

Logo acima, você pode ver também um vídeo do experimento, mostrando apenas o disparo do foguete e a queda do raio, de forma que não é possível ver o trovão – só ouvir.

Ao entrar na nuvem, o projétil originou um raio, que rapidamente viajou fio abaixo e permitiu que o estudioso capturasse o som do trovão usando um conjunto de 15 microfones – separados um do outro por uma distância de 1 metro. Além de fornecer um mapa detalhado do fenômeno, o experimento fez com que os cientistas descobrissem que o volume de um trovão depende diretamente do valor máximo de energia presente no raio.

O melhor enfeite do mundo

Caso a imagem do trovão não tenha sido o bastante para você, então o que acharia de levar para casa um bloco esculpido com o formato perfeito de um raio? Conhecidos como Figuras de Lichtenberg, objetos com o desenho de uma descarga elétrica são formados quando uma rajada de elétrons é disparada sobre um prisma acrílico.

Quando os elétrons são lançados em alta velocidade conta o material isolante, eles conseguem penetrar no seu interior, mas vão desacelerando e se espalhando enquanto colidem com as moléculas dentro do plástico. O resultado, que você vê no vídeo acima, é um raio preso dentro de uma caixa de vidro, que você pode exibir na estante de sua casa para sempre para demonstrar o seu poder sobre a natureza.

Cupons de desconto TecMundo: