Todo mundo já sabe — ou deveria saber — que a ingestão de álcool não deve ser relacionada à direção de um veículo. Mas como nós também sabemos, muitos motoristas não levam isso tão a sério e os departamentos de polícia precisam fazer constantes fiscalizações nas ruas das grandes cidades e também nas estradas. Hoje, o principal aliado dos policiais está nos bafômetros — que nós dissecamos e mostramos como é o funcionamento aqui neste link.

Mas esqueça a necessidade de um canudo individual e da obrigatoriedade de parar os motoristas para a realização dos exames. No futuro, os bafômetros vão ser muito mais poderosos e poderão ser utilizados remotamente. Isso significa que os motoristas nem serão obrigados a parar em blitzes para que os policiais realizem a primeira medição em busca de indícios da ingestão de álcool.

O funcionamento do dispositivo descrito no PopSci é relativamente simples. Pesquisadores conseguiram fazer com que lasers passem por carros e depois sejam refletidos por espelhos, voltando a receptores capazes de identificar pequenas quantidades de álcool que possam estar no veículo. Por enquanto isso ainda é bem precário e há grandes chances de haver enganos por parte dos dispositivos.

Os principais motivos para isso são a possível confusão entre álcool de bebidas com o exalado pela combustão nos motores. Mesmo assim, o dispositivo dos pesquisadores da Universidade Militar de Tecnologia da Varsóvia (Polônia) ainda pode ser evoluído e, no futuro, pode ser utilizado para identificar possíveis motoristas alcoolizados em uma espécie de triagem nas fiscalizações.

Cupons de desconto TecMundo: