Os cientistas falam a respeito da impressão de vasos sanguíneos há algum tempo, mas ainda é difícil fazer com que esse tipo de tecido se ajuste às formas complexas do corpo humano, mantendo-se eficazes.

No entanto, uma equipe de pesquisadores do Hospital “Bingham and Women” pode ter resolvido o problema: eles imprimiram vasos impressos em 3D usando uma nova técnica que permite criar projetos de um tipo de tecido emaranhado semelhante a veias humanas.

O processo imprime agaroses (naturalmente derivado da molécula do açúcar) como modelo de fibra para servir de molde para os vasos sanguíneos. Em seguida, este molde é coberto com uma substância gelatinosa chamada hidrogel, formando um suporte para o modelo que foi reforçado. Os vasos resultantes desse processo são melhores em transportar líquidos e se comportar como veias reais.

Ali Khademhosseini, o autor sênior do estudo, explicou que as fibras impressas são fortes o suficiente para serem removidas fisicamente para criar os vasos. “Isso evita ter de dissolver as camadas do molde, o que pode não ser tão bom para as células que estão aprisionadas em torno do gel”.

Vasos sanguíneos criados através de hidrogel combinam tecnologia avançada de 3D

Utilidade no futuro

Os vasos sanguíneos formam a base do nosso sistema circulatório, permitindo que o sangue flua e entregue nutriente essenciais, bem como limpe resíduos de nossos órgãos. Portanto, ser capaz de imprimi-los é algo muito importante para a medicina. De acordo com Khademhosseini, no futuro, esse projeto poderá ser capaz de resolver problemas de transplantados ou para desenvolver medicamentos mais seguros e eficazes.

No entanto, isso não significa que em breve teremos vasos impressos para suprir a demanda médica. Ainda há um longo caminho para percorrer antes que esses vasos artificiais sejam usados em humanos.

Cupons de desconto TecMundo: