(Fonte da imagem: Scientific American)
No meio do ano, os cientistas da CERN — Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear — fizeram um grande anúncio: eles possuíam 99,99% de certeza que foram encontradas evidências sobre a existência do Bóson de Higgs.

Desde então, os pesquisadores passaram a analisar os dados coletados visando obter mais informações em relação à possível descoberta revolucionária. Agora, em um episódio mais recente dessa história, foram apresentados novos dados quanto à experiência, e algo bastante inesperado pode também ter acontecido: em vez de uma, foram descobertas na verdade duas partículas ao mesmo tempo.

Aparentemente, durante a revisão dos dados coletados, os cientistas também estavam tentando identificar possíveis anomalias e foi neste momento que eles se depararam com esta “joia”. Ao que tudo indica, não havia apenas um “sinal” do Bóson de Higgs, mas dois: um de 123.5 GeV (giga-electron volts, a unidade de medição que os físicos de partículas mais utilizam para se referirem à massa) e outro de 126.5 GeV.

O que os cientistas acham dessa história?

Mesmo que algumas extensões do Modelo Padrão da física de partículas já tenham postulado a existência de múltiplos Bósons de Higgs, nenhum dos cientistas poderia prever que duas partículas teriam massas tão semelhantes — algo que também seria bem difícil de explicar.

No caso, os pesquisadores ainda terão que estudar profundamente os dados para entender melhor as informações encontradas — alguns acreditam que seria na verdade um ligeiro desvio estatístico que desaparece à medida que mais dados são recolhidos ou mesmo um problema sistêmico.

Agora, teremos que esperar até março, quando os cientistas da CERN divulgarão mais dados sobre as pesquisas, para descobrirmos se seria realmente um segundo Bóson de Higgs ou se vão surgir ainda mais dados intrigantes nos capítulos dessa história.

Cupons de desconto TecMundo: