(Fonte da imagem: Reprodução/Nature)

Um projeto desenvolvido por um pesquisador da Universidade Nacional de Seoul na Coreia do Sul pode permitir a criação de robôs capazes de reproduzir o tato humano. Um time comandado por Kahp-Yang Suh criou uma combinação de milhares de polímeros com escala nanométrica que simulam as características de um pelo.

A invenção é equipada com um sensor de toque extremamente sensível que permite a um robô detectar até mesmo a mais leve vibração de um ambiente. A ideia da novidade surgiu a partir do estudo das células presentes no cabelo e nos órgãos humanos, responsáveis por interpretar os sinais elétricos enviados pelo cérebro.

Os pelos artificiais de 50 nanômetros são capazes de realizar torções e se curvar entre si quando uma força externa é exercida, de maneira semelhante ao que acontece com suas contrapartes orgânicas. O contato entre os polímeros gera uma corrente elétrica identificada por sensores capazes de informar se houve alguma mudança nas proximidades — o resultado dessa análise é mostrado em tempo real através de um computador.

Material extremamente sensível

Para demonstrar a eficiência da invenção, os pesquisadores responsáveis pelo projeto realizaram mais de 10 mil ciclos de testes. A novidade se mostrou capaz de detectar desde pequenas gotas caindo sobre uma placa hidrofóbica até a força física exercida pela batida de um coração.

(Fonte da imagem: Reprodução/Nature)

A expectativa é que as pesquisas se reflitam no desenvolvimento futuro de próteses artificiais capazes de emular com maior precisão a sensibilidade da pele humana. Além disso, será possível criar robôs mais eficientes do que os atuais, especialmente quando se trata de máquinas responsáveis por lidar com instrumentos delicados.

Fonte: Nature.com

Cupons de desconto TecMundo: