(Fonte da imagem: Reprodução/ArsTechnica)

O grafeno tem sido um dos materiais mais populares dos últimos tempos, prometendo melhorias impressionantes para os mundos da tecnologia e da ciência. Ele pode ser utilizado para criar transistores mais rápidos do que o silício (devido à melhor condutividade elétrica) e também pode ser melhor para comunicações de radiofrequência do que os sistemas lógicos atuais.

Segundo o ArsTechnica, o que os pesquisadores da UCLA (Universidade da Califórnia, Los Angeles) estão fazendo agora é unir essas duas características em apenas uma aplicação: os transistores de radiofrequência de grafeno. Com isso, a velocidade nas transmissões de dados poderia ser melhorada bastante — chegando à oscilação máxima de frequência de 29 GHz.

E, para produzir esse material, os cientistas da UCLA precisaram desenvolver um sistema inédito de fabricação muito mais preciso que o tradicional. Para isso, utilizaram uma fita especialmente criada para colaborar na aplicação dos transistores. Segundo o que foi revelado no ArsTechnica, essa fita permite que os portões de comunicação sejam otimizados e o processamento de dados atinja resultados excelentes.

É preciso dizer que o processo não é nada barato. Além do grafeno utilizado nos transistores, as camadas do sistema ainda exigem a utilização de elementos muito caros — como o titânio e o ouro, que permitem uma maior condutividade elétrica. Ainda não há previsões sobre a utilização prática da nova fita.

Fonte: ArsTechnica

Cupons de desconto TecMundo: